Busca avançada

Mudbelts do Sul e Sudeste do Brasil: implicações sobre as influências antrópicas no ambiente marinho

Processo: 15/17763-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Química
Pesquisador responsável:Márcia Caruso Bícego
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Michel Michaelovitch de Mahiques ; Rubens Cesar Lopes Figueira
Pesq. associados:Cesar de Castro Martins ; Rafael Andre Lourenço ; Renata Hanae Nagai ; Rosalinda Carmela Montone ; Silvia Helena de Mello e Sousa
Auxílios(s) vinculado(s):16/18348-1 - EMU concedido no processo 2015/17763-2: cromatógrafo a gás com detector de massas triplo quadrupolo (GC/MS/MS), AP.EMU
Assunto(s):Metais  Química orgânica marinha  Poluentes orgânicos  Plataforma continental 

Resumo

Mudbelts são depósitos lamosos alongados, que podem apresentar expressão batimétrica, formas tridimensionais e características sedimentológicas que refletem o condicionamento tectônico, o clima do continente adjacente, aporte fluvial e dinâmica da plataforma continental. Plataformas continentais são ambientes muito sensíveis na interação continente-oceano; podem conter recursos que são escassos ao ser humano; influenciam no impacto de eventos de risco para a sociedade humana e podem ser um destino potencial para materiais antropogênicos.O objetivo principal do projeto é avaliar o potencial de acumulação de materiais antropogênicos na plataforma continental sul brasileira através do estudo de compostos orgânicos e metais depositados nas feições de "mudbelts" do Sul do Brasil. Esta avaliação será feita através da associação das características sedimentológicas e geoquímicas dos sedimentos depositados nos mudbelts de forma a diagnosticar os mecanismos de entrada de material terrígeno e de contaminantes na região de estudo, além de verificar a correlação entre a intensidade de atividades antrópicas regionais e a distribuição espacial/temporal destes compostos ao longo da região. A partir do conjunto de dados coletados, é esperado que se possa definir a estrutura extensão, continuidade, geometria e centro deposicional dos "mudbelts" do sul e sudeste do Brasil; avaliar o potencial de acumulação de material continental e/ou antropogênico, gerando o primeiro inventário sobre a acumulação de materiais antropogênicos em sedimentos marinhos do Atlântico Sudoeste. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em Química Orgânica Marinha na USP com Bolsa da FAPESP