Busca avançada

INCT 2014: Instituto Nacional de Ciência Tecnologia de semioquímicos na Agricultura

Processo: 14/50871-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de julho de 2017 - 30 de junho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:José Roberto Postali Parra
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisadores principais:José Maurício Simões Bento
Assunto(s):Agricultura 

Resumo

Considerado um INCT modelo no último quadriênio (2009-2013), segundo o parecer final do Comitê Assessor do CNPq, o INCT semioquímicos na Agricultura desenvolve pesquisa científica e tecnológica inovadora em uma área estratégica para o desenvolvimento nacional, a Agricultura, e por meio desta nova chamada, espera contribuir ainda mais para a consolidação do país nesta área, no curto, médio e longo prazos. Contemplando atividades de pesquisa de vanguarda de alta qualidade, elevada formação de recursos humanos, transferência de conhecimento para a sociedade e empresas, e forte internacionalização, esta nova proposta visa ao fortalecimento do atual lNCT semioquímicos na Agricultura. A partir da estrutura em rede hoje constituída e já consolidada, dos laboratórios e competências estabelecidos nos estados de São Paulo (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Esalq/USP, Piracicaba, Instituição Sede), Minas Gerais (Universidade Federal de Viçosa, UFV, Viçosa), Paraná (Universidade Federal do Paraná, UFPR, Curitiba), e Alagoas (Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Maceió), o INCT semioquímicos na Agricultura irá se expandir, nesta nova fase para outros locais do Brasil, visando a um maior equilíbrio e à formação de novos grupos de pesquisa em novos campi universitários e regiões em desenvolvimento, como preconizado pelo Edital. Serão acrescidos ao atual grupo, laboratórios representados pelos estados de Sergipe (Universidade Federal de Sergipe, UFS, Aracajú), Bahia (Universidade Estadual de Santa Cruz, UESC, Ilhéus), Rio de Janeiro (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Três Rios), Mato Grosso (Universidade do Estado do Mato Grosso, UNEMAT, Tangará da Serra), Mato Grosso do Sul (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, UEMS, Cassilândia), Santa Catarina (Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Unochapecó, Chapecó), e de outras duas instituições no Paraná (Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Guarapuava, e Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE, Cascavel). Levando em conta objetivos e metas claras, o INCT semioquímicos na Agricultura estabeleceu como alicerce estratégico para o país, cinco linhas gerais de pesquisas a saber: (i) semioquímicos nas interações inseto-inseto e inseto-planta; (ii) semioquímicos no contexto do controle biológico; (iii) identificação e síntese de semioquímicos; (iv) formulação e tecnologia de liberação de semioquímicos; e (v) aplicação de semioquímicos na Agricultura. Todos os subprojetos de pesquisa propostos pelo atual INCT, se encaixam de forma harmônica em uma ou mais dessas linhas gerais, e são condizentes com as principais pragas e culturas de importância econômica da Agricultura brasileira da atualidade, criando novas possibilidades de monitoramento e controle de pragas, e gerando conhecimentos e tecnologias para os agricultores, de forma sustentável e sem o uso de agroquímicos, tornando o país autossuficiente. Por se tratar de uma rede bem estruturada de instituições de ensino e pesquisa, o INCT semioquímicos na Agricultura continuará contribuindo para a formação de recursos humanos do mais alto nível, expandindo e disseminando inovações para as mais diferentes regiões brasileiras. Amparado por instituições internacionais líderes nesta área de atuação, como University of California-Davis, University of California-Riverside, Penn State University, Wageningen University, University of Neuchâtel, Max Planck Institute of Chemical Ecology, Universitãt Hamburg, The University of Western Ontario, dentre outras, o INCT semioquímicos de Agricultura manterá, como já vem sendo feito, constante intercâmbio, de alunos e pesquisadores, promovendo um aumento da produção científica e melhoria da qualidade desta produção. No que tange às relações com empresas nacionais, inúmeras têm sido as oportunidades de gerar novos produtos e tecnologias que favoreçam o crescimento empresarial do agronegócio, como já vem sendo feito por meio de empresas pioneiras e hoje líderes do mercado neste setor apoiadas pelo INCT semioquímicos na Agricultura. Aliado a todo este esforço, a busca constante de iniciativas que transfiram este conhecimento para a sociedade, por meio de educação científica da população em geral tem sido implementada e disponibilizada pelos membros e instituições dos grupos participantes. (AU)