Busca avançada

INCT 2014: INCT para Mudanças Climáticas (INCT-MC)

Processo: 14/50848-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de julho de 2017 - 30 de junho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:Jose Antonio Marengo Orsini
Beneficiário:
Instituição-sede: Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Nacionais (CEMADEN). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Brasil). Cachoeira Paulista, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Carlos Alberto Vogt ; Chou Sin Chan ; Eduardo Amaral Haddad ; Eduardo Delgado Assad ; Eduardo Mario Mendiondo ; Enio Bueno Pereira ; Paulo Nobre ; Regina Célia dos Santos Alvalá
Bolsa(s) vinculada(s):17/06627-6 - Impacto das mudanças climáticas globais sobre os principais biomas brasileiros, BP.PD
Assunto(s):Geologia  Climatologia  Mudança climática  Institutos de pesquisa 

Resumo

O novo Programa INCT Mudanças Climáticas tem como objetivo implementar e desenvolver uma rede global de pesquisa interdisciplinar sobre a mudanças globais e sustentabilidade. Baseia-se na cooperação entre cerca de 30 grupos de pesquisa de todas as regiões do Brasil e quatro grupos de pesquisa internacionais, envolvendo na sua totalidade mais de 200 pesquisadores, estudantes e técnicos e estabelecendo-se como uma das maiores redes de pesquisa ambiental no Brasil. O programa consiste em seis linhas temáticas (ou subcomponentes): 1. Segurança alimentar; 2. Segurança hídrica; 3. Segurança energética; 4. Saúde; 5. Desastres naturais, impactos sobre a infraestrutura física em áreas urbanas e de desenvolvimento urbano; 6. Impactos nos ecossistemas brasileiros, tendo em vista as mudanças no uso da terra e da biodiversidade. Essas subcomponentes estão interligadas por três temas integradores (ou transversais): 1. Economia e impactos em setores-chave; 2. Modelagem do sistema terrestre e produção de cenários climáticos futuros para estudos de Vulnerabilidade-Impactos-Adaptação-Resiliência para Sustentabilidade (VIARs); 3. Comunicação, disseminação do conhecimento e educação para a sustentabilidade. Os temas integradores permitirão que os impactos das mudanças globais possam ser avaliados do ponto de vista econômico, utilizando-se projeções de clima futuro para avaliar seus impactos potenciais. Também possibilitarão que os resultados sejam apresentados e comunicados à sociedade e os governos de forma clara e objetiva, proporcionando maior compreensão pelos tomadores de decisão para propor políticas públicas de enfrentamento dos desafios atuais e futuros das mudanças globais. A definição mais aceita para o termo sustentabilidade e desenvolvimento sustentável é: um desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da sociedade atual, sem comprometer a capacidade de atender as futuras gerações. Para ser alcançado, o desenvolvimento sustentável depende de planejamento e do reconhecimento de que os recursos naturais são finitos. Este conceito representa uma nova forma de desenvolvimento econômico, que leva em conta o meio ambiente. O projeto do INCT-MC fornece uma visão geral das questões relacionadas à sustentabilidade e negócios ambientalmente responsáveis, a fim de facilitar a participação ou mesmo a implementação de atividades em diferentes áreas de gestão de instituições públicas e privadas e seus relacionamentos com os 'stakeholders". O desenvolvimento da agenda científica do INCT-MC proporcionará melhores condições para o país desenvolver a excelência científica em diversas áreas de mudança ambiental global e suas implicações para o desenvolvimento sustentável, principalmente quando se considera que a economia dos países em desenvolvimento está fortemente associada aos recursos renováveis, como é notadamente o caso do Brasil. A ênfase sobre os impactos das mudanças climáticas globais sobre a agricultura, saúde, energias renováveis, desenvolvimento urbano e desastres naturais, como temas centrais integrados com modelagem ambiental, junto com avaliações de economia e a comunicação desses impactos para o público, comunidade científica e setor acadêmico, negócios da indústria e do governo, pode contribuir para manter a excelência em atividades de Ciência, Tecnologia e Inovação como eixo do desenvolvimento sustentável do meio ambiente, com um caráter integrador e inovador. Será utilizado o estado-da-arte em modelagem climática, a partir de modelos regionais e globais para gerar cenários de mudanças climáticas, bem como do desenvolvimento de modelos para avaliar impactos e consequências de mudanças de vários setores-chave no Brasil. Também serão utilizadas informações nas áreas climática, de uso da terra, de saúde e socioeconômicas, incluindo experimentos em campo e em laboratório, visando avaliar os impactos do clima nos sistemas naturais e humanos e compreender as possíveis implicações e opções de mitigação. Esta proposta inclui a transferência de conhecimento por meio de instrumentos que vão além dos artigos científicos. Produções audiovisuais, ferramentas web e outros produtos permitirão o desenvolvimento de uma cultura científica, melhorando a percepção pública da ciência das mudanças globais. Também se prevê uma maior integração e inserção internacional do Brasil em negociações ambientais. A estrutura do novo INCT-MC é caracterizada por objetivos e metas a serem alcançados em curto, médio e longo prazo. A consecução do projeto se realizará por meio de atividades bem articuladas, concatenadas e sinérgicas, em que os 6 eixos principais são integrados por avaliações econômicas e de risco ambiental e pelo uso do estado da arte em cenários de projeções de clima futuro desenvolvidos pelo INPE para projetar as mudanças no curto, médio e longo prazo. As instituições participantes mantêm cursos de graduação e pós-graduação, bem como de formação tecnológica, ou são centros de operações que aplicam o conhecimento do estado-da-arte sobre mudanças climáticas e os extremos para as avaliações, monitoramento e previsões de desastres naturais e seus impactos. Algumas das instituições participantes têm as competências científicas e logísticas necessárias para criar redes funcionais para pesquisar de forma eficaz. Assim, as atividades operacionais e de pesquisa podem ser favorecidas pelas visitas de pesquisadores de grupos internacionais que já estão trabalhando em questões relevantes para VIARs. Para o INCT-MC, pretendemos integrar as instituições nacionais com programas regionais e globais internacionais de excelência em matéria de investigação e formação relevantes para a vulnerabilidade, impactos, adaptação, resiliência e sustentabilidade. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MOHOR, GUILHERME SAMPROGNA; MENDIONDO, EDUARDO MARIO. Economic indicators of hydrologic drought insurance under water demand and climate change scenarios in a Brazilian context. ECOLOGICAL ECONOMICS, v. 140, p. 66-78, OCT 2017. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.