Busca avançada
Ano de início
Entree

Arquitetura e urbanismo frente ao espaço social no Século 21: estratégias de segregação e táticas de apropriação

Processo: 16/22704-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Leandro Silva Medrano
Beneficiário:Leandro Silva Medrano
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Luiz Antonio Recaman Barros
Pesq. associados: Carmen Espegel ; Daniel Koch ; Erik Stenberg ; Gareth Doherty ; José Maria de Lapuerta Montoya ; Lizete Maria Rubano ; Nelson Mota ; Tom Avermaete
Assunto(s):Teoria da arquitetura  Desenho urbano  Urbanismo  Habitação  Espaço social  Século XXI 

Resumo

O século XXI inaugura uma nova série de problemas para a Arquitetura e Urbanismo: a revisão crítica das disciplinas propositivas do espaço depois das vicissitudes ideológicas do Movimento Moderno e do Planejamento Estratégico, e os novos processos sociais e econômicos da produção do espaço. Ambos exigem uma atualização disciplinar crítica para poder seguir disputando a transformação esclarecida dos significados das cidades. Em relação às cidades brasileiras poucas têm sido as transformações desde o início de seu processo de industrialização e modernização. Houve grande avanço desde o final do século XX no que se refere aos instrumentos das políticas urbanas, que, no entanto, não puderam garantir uma urbanização socializadora e democrática. Para além das resistências econômicas e estruturais da sociedade dual brasileira, esta pesquisa pretende explorar as severas restrições de nosso pensamento arquitetônico e urbanístico, ênfase que dá a especificidade necessária à abordagem. O objetivo desta pesquisa é compreender quais as possibilidades urbanas de apropriação dos novos paradigmas espaciais de projetos e intervenções urbanas definidas como portadoras de configurações alternativas - espacialidades que problematizam a relação consolidada entre o objeto arquitetônico e as cidades. Para tanto, o caminho necessário aponta para uma reflexão teórico-metodológica e para o estudo crítico de fenômenos sócio-espaciais emergentes - serão essas as duas frentes de atuação desta pesquisa. Essa metodologia, considerada a abrangência deste projeto temático, implica o confronto amplo de ideias sobre as condições e possibilidades do urbano contemporâneo, bem como a ampliação do número de fenômenos urbanos a serem estudados e, principalmente, sua diferenciação. Portanto, a pesquisa, os pesquisadores e os objetos não se restringem ao universo brasileiro e contam com a participação de outros importantes centros de pesquisa do exterior - nos quais essas discussões estejam presentes - e que compartilhem das mesmas preocupações. Espera-se, com este trabalho, o aprimoramento de uma metodologia crítica do espaço construído que permita um re-equacionamento da relação entre o pensamento urbanístico e arquitetônico, o Estado e a sociedade civil. Seu pressuposto básico é a Cidade e sua fisicalidade como fundamento inamovível da socialização da sociedade. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.