Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial atual e futuro das Áreas Marinhas Protegidas (AMPs) para preservação da biodiversidade, da função e da resiliência das marinhas rochosas subtidais no Brasil subtropical

Processo: 16/26064-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Daniel Gorman
Beneficiário:Daniel Gorman
Instituição-sede: Centro de Biologia Marinha (CEBIMAR). Universidade de São Paulo (USP). São Sebastião, SP, Brasil
Pesq. associados:Alexander Turra ; Augusto Alberto Valero Flores ; Flavio Augusto de Souza Berchez
Assunto(s):Biodiversidade  Mudanças ambientais globais  Ecossistemas  Recifes de corais  Áreas marinhas protegidas 

Resumo

A conservação dos recursos costeiros do mundo requer informações práticas sobre a biodiversidade, a função e a resiliência das paisagens subtidais. Em todo o mundo, dramáticas declinações em importantes habitats, como florestas de algas e recifes de corais, ocorreram devido à incapacidade de proteção das áreas vulneráveis à um número crescente de estressores antropogênicos. Uma abordagem para a salvaguarda dos habitats marinhos tem sido a designação de Áreas Marinhas Protegidas (AMPs) que limitam as atividades permitidas dentro de zonas costeiras únicas ou vulneráveis. Este projeto ampliará nosso conhecimento sobre o valor atual e futuro das AMPs como ferramentas efetivas para preservar a biodiversidade, a função e a resiliência das marinhas rochosas no Litoral Norte de São Paulo. Especificamente, o projeto: (1) desenvolverá e testará métodos para programas de mapeamento de hábitats em várias escalas para ligar padrões de exploração histórica, atual e futura (por exemplo, desenvolvimento costeiro, poluição e pesca) com a qualidade geral dos recifes rochosos; (2) compreenderá melhor, a partir de experiências laboratoriais e de campo, os mecanismos subjacentes à resistência e à resiliência, com ênfase na regulação "de cima para baixo" e "de baixo para cima" destes sistemas subtidais; E (3) reunirá essas informações para avaliar AMPs como meio de preservar a biodiversidade, o funcionamento e os serviços ecossistêmicos no Brasil subtropical. Em geral, o projeto fornecerá e arquivará dados de relevância direta para a política pública e gestão de AMP que podem ajudar a conciliar a conservação da natureza com o uso sustentável das paisagens marinhas e costeiras do Brasil. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.