Busca avançada
Ano de início
Entree

As plaquetas na interface da modulação da imunidade, inflamação e hemostasia na leptospirose

Processo: 17/00236-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de abril de 2018 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Mônica Larucci Vieira
Beneficiário:Mônica Larucci Vieira
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Lucia Tabet Oller do Nascimento ; Marcos Bryan Heinemann
Bolsa(s) vinculada(s):18/07054-2 - As plaquetas na interface da modulação da imunidade, inflamação e hemostasia na leptospirose, BP.JP
Assunto(s):Hemostasia  Imunidade natural  Leptospira  Leptospirose  Plaquetas sanguíneas  Inflamação 

Resumo

A leptospirose é uma importante zoonose, causada por bactérias espiroquetas do gênero Leptospira. Apesar da sua importância e de estudos recentes de genômica funcional, os mecanismos moleculares do processo infeccioso e da patofisiologia da leptospirose permanecem não compreendidos. No entanto, evidências crescentes sugerem que a superestimulação e/ou modulação pelo patógeno da resposta imune e inflamação do hospedeiro, bem como o distúrbio do equilíbrio hemostático, parecem ser centrais na patogênese e sintomatologia da doença. As plaquetas desempenham papel principal na hemostasia primária. Além disso, as plaquetas desempenham inúmeras funções, sendo células inflamatórias com múltiplas atividades abrangendo desde respostas imunes inatas até imunidade adaptativa. As funções reguladoras imuno-inflamatórias das plaquetas são conceitos relativamente novos no âmbito de infecções bacterianas, e ainda inexplorados na leptospirose. Assim, propõe-se o estudo da ativação plaquetária e suas interações com outras células imunes e moléculas efetoras ou reguladoras como mecanismo modulador da resposta do hospedeiro durante a infecção por Leptospira. O principal objetivo é a identificação de mecanismos moleculares imunológicos, inflamatórios e hemostáticos causadores de sintomatologia severa como hemorragias, vasculites e falência de órgãos na leptospirose. Estes estudos poderão servir de base para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas, diagnósticas e profiláticas no combate à doença. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.