Busca avançada

Artesãos da subversão - os trabalhadores gráficos e o DEOPS: repressão e resistência durante a Era Vargas (1930-1945)

Processo: 07/56972-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Maria Luiza Tucci Carneiro
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/59726-7 - Arquivos da repressão e da resistência. Historia e memória. Mapeamento e análise da documentação do DEOPS/SP e DEIP/SP, AP.TEM
Assunto(s):Era Vargas   Polícia política   Departamento Estadual de Ordem Política e Social (DEOPS)   Subversão   Anarquismo   Comunismo

Resumo

Este projeto integra as pesquisas desenvolvidas pelo PROiN - Projeto Integrado Arquivo Público do Estado/USP, recentemente aprovado como um dos temáticos da FAPESP. Tem como proposta avaliar o grau de repressão empreendido pelo DEOPS contra os trabalhadores gráficos entre 1930-1945, segmento profissional considerado como um dos mais atuantes na história política brasileira desde o final do século XIX. A historiografia brasileira tem enfatizado o importante papel do trabalhador gráfico no desenvolvimento da nascente classe trabalhadora brasileira, numa época em que a grande maioria da população era, ainda, em grande parte analfabeta. Os gráficos - graças à natureza do seu oficio, sabiam ler e escrever e, estavam freqüentemente, em contato com as ideologias políticas em evidência na época tais como anarquismo, comunismo e o socialismo, propostas que questionavam a realidade social do operariado e do regime republicano brasileiros. Isso, por um lado, os colocava numa posição de destaque frente aos demais trabalhadores, mas por outro chamava a atenção das autoridades e da Polícia Política - o DEOPS - um dos braços repressores do governo autoritário de Getúlio Vargas dedicado ao saneamento ideológico da sociedade brasileira como um todo. Este projeto homogeneizador pretendia impedir a circulação de idéias ditas "perigosas" à ordem política e social. Cabe, portanto, investigar e identificar a produção de publicações e a ação política dos gráficos interpretados como uma frente de resistência ao governo Vargas. Redimensionar a ação do aparato policial dedicado a reprimir qualquer tipo de contestação, assim como a (re)ação dos trabalhadores gráficos é a proposta deste projeto. Através dos documentos produzidos pelo DEOPS/SP e de outros confiscados dos trabalhadores gráficos - anexados aos prontuários e dossiês sob a guarda do Arquivo Público do Estado de São Paulo - é possível reconstituir o discurso dos repressores e desta frente de resistência enquanto expressão da história política do Brasil Contemporâneo. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
GLÁUCIA RODRIGUES CASTELLAN. Artesãos da subversão. Os trabalhadores gráficos e o DEOPS: repressão e resistência durante a Era Vargas  (1930-1945). 2010. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.