Busca avançada

Entre secos e molhados: a participação das mulheres mina no pequeno comércio e a construção de identidades. Vila Rica, 1753-1797

Processo: 08/52194-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Robert Wayne Andrew Slenes
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/57297-1 - Trabalhadores no Brasil: identidades, direitos e política (séculos XVII a XX), AP.TEM
Assunto(s):Escravidão

Resumo

Este projeto pretende investigar o modo como os trabalhadores (escravos ou livres, nacionais ou imigrantes, homens ou mulheres, brancos, negros ou índios) conferiram significados políticos a diferentes aspectos de seu cotidiano, seja no local de trabalho ou nos espaços de sociabilidade e lazer, no desenrolar de conflitos com senhores, patrões ou autoridades públicas. Seu objetivo é examinar processos históricos nos quais os trabalhadores se constituíram como sujeitos políticos e como tal foram reconhecidos. Ao adotar o procedimento de realizar pesquisas sobre objetos circunscritos, mas orientadas por questões mais gerais, o projeto visa discutir aspectos da história do trabalho no Brasil desde o século XVII até o século XX. Busca, com isso, não apenas contribuir para o aprofundamento de temáticas particulares (movimentos de reivindicação, formas de associação e participação política, manifestações culturais dos trabalhadores), mas também para ampliar campos de investigação que, mais recentemente, vêm se renovando, como a história social das práticas jurídicas e legais. As pesquisas privilegiam dois grandes eixos de investigação. Primeiro, trata-se de perceber como se configuraram, expressaram e transformaram as diversas identidades dos trabalhadores em sua atuação na esfera pública. O intuito é examinar a conformação de tradições, costumes e identidades compartilhadas que serviram de base para suas ações e para a formação de grupos e associações (religiosas, recreativas, de apoio mútuo, sindicais, etc.). Focalizam-se assim as múltiplas formas de atuação dos trabalhadores, tanto em situações nas quais eles se definiam prioritariamente pelas relações de trabalho, quanto em contextos nos quais extrapolavam os espaços institucionalizados e engendravam diferentes identidades sociais. Segundo, busca-se ver como esta dimensão cultural (em diferentes situações e contextos históricos) fundamentou a reivindicação de direitos, e como tais demandas repercutiram na esfera pública. Neste sentido, o projeto discute os usos que os trabalhadores fizeram de espaços simbólicos e pontos de vista "consagrados", ou de canais institucionais e mecanismos legais e jurídicos, para expressar seus pleitos, interpretar leis ou redimensionar espaços sociais em seu benefício. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MAYKON RODRIGUES DOS SANTOS. Cruzando o Atlântico : a construção da identidade Mina entre forras e escravas no pequeno comércio de Vila Rica, 1753 a 1797. 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.