Busca avançada

Estudo da afinidade de anticorpos humanos scFv anti-crotoxina usando mutantes evoluídos in silico, construídos e expressos em bactéria

Processo: 11/03801-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Pesquisador responsável:Irene Fernandes
Beneficiário:
Instituição-sede : Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Anticorpos neutralizantes   Crotoxina   Venenos de serpentes

Resumo

Nosso objetivo neste projeto é estudar a afinidade de mutantes de anticorpos humanos scFv anti-crotoxina, visando o entendimento dos mecanismos de ação da crotoxina e uma possível alternativa terapêutica para envenenamento por picada de serpentes do gênero Crotalus. O envenenamento crotálico, embora responsável por apenas 8% dos casos, é o que apresenta maior letalidade. O veneno crotálico apresenta várias toxinas, sendo a crotoxina (CTX) a principal responsável pela sua neurotoxicidade. Os acidentes por venenos ofídicos foram incluídos na lista de Doenças Tropicais Negligenciadas da OMS. Três clones humanos scFv anti-crotoxina foram selecionados e sequenciados a partir de uma biblioteca de fagos por CARDOSO et al, 2000. O clone 6, que apresentou a maior capacidade neutralizante sobre a letalidade induzida pela CTX e pelo veneno total, foi expresso e parcialmente caracterizado durante o projeto de Iniciação Científica da proponente (com bolsa FAPESP). Um mutante também foi já obtido por mutagênese sítio dirigida e está sendo expresso. Neste projeto, visamos estudar a afinidade de mutantes de scFv. Para isto, outros dois mutantes, gerados por estudos in silico, serão construídos e expressos em E. Coli. A seguir, serão purificados e testados quanto à sua afinidade (por ressonancia plasmonica de superfície - Biacore). (AU)