Busca avançada
Ano de início
Entree

Polimorfismos genéticos em genes relacionados com imunidade inata em população de área de baixa endemicidade para malária

Processo: 12/19852-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Karin Kirchgatter Hildebrand
Beneficiário:Eliana Ferreira Monteiro
Instituição-sede: Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/50492-1 - Estudo de polimorfismos genéticos em genes relacionados com a imunidade inata em população de área de baixa endemicidade para malária, AP.R
Assunto(s):Sorologia   Polimorfismo genético   Plasmodium   Malária

Resumo

No Estado de São Paulo, cerca de 20 casos são transmitidos anualmente em trechos de Mata Atlântica causados por P. vivax e, sobretudo, por P. malariae. Além da transmissão vetorial, casos de malária transfusional, embora raros, ainda são descritos no Estado, principalmente porque essa região de Mata Atlântica normalmente não é considerada área endêmica para malária e não participa dos locais eleitos em critérios de exclusão de doadores de sangue. Um desses casos de malária transfusional gerou uma investigação em residentes de um município desta região (Projeto de Políticas Públicas, FAPESP). Por métodos moleculares de diagnóstico foram detectados 36 casos de malária, uma positividade de 10% (80% P. malariae e 20% P. vivax). Também foi realizada sorologia nestes indivíduos e verificou-se que 70% dos indivíduos com PCR negativo apresentava sorologia positiva para CSP. A maior parte desses positivos (tanto para sorologia quanto por PCR) era assintomática. Sabe-se que nem todos os indivíduos infectados desenvolvem a doença, mas inúmeros fatores podem estar relacionados, desde a variabilidade genética do hospedeiro até do genótipo do parasito. Entretanto, imunidade inata é a primeira linha de defesa do hospedeiro. Os TLRs ("Toll-like receptors"), são uma família de receptores de reconhecimento de patógenos que têm uma importante função neste sentido. Em humanos, 10 TLRs funcionais foram descritos. Variações genéticas nos genes que codificam os TLRs estão associados a resistência ou susceptibilidade aumentada a uma variedade de doenças infecciosas, inclusive malária. Qualquer mutação genética (polimorfismo) que altere a estrutura da proteína afetando a habilidade dos TLRs ou seus co-receptores de se ligar a seus padrões moleculares associados a patógenos irá provavelmente afetar a susceptibilidade do hospedeiro em relação à infecção. Este estudo pretende gerar informação acerca da presença de SNPs ("single nucleotide polymorphism") em TLRs e no gene da proteína adaptadora MAL/TIRAP de residentes de área de baixa endemicidade para malária e relacionar os dados com dados já disponíveis de estudo anterior (presença de Plasmodium detectada por métodos moleculares de diagnóstico e presença de anticorpos detectados por ELISA). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.