Pesquisa avançada

Comportamentos de risco após a saída das baladas e associação com a dosagem alcoólica mensurada

Processo: 12/22277-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Zila van der Meer Sanchez Dutenhefner
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51658-0 - Padrões de consumo de álcool e outras drogas em baladas: epidemiologia, etnografia e intervenção, AP.JP
Assunto(s):Comportamento de risco   Álcool   Epidemiologia

Resumo

O excesso no consumo de bebidas alcoólicas em "baladas" (casas noturnas e bares com pista de dança) e todo o comportamento de risco decorrente da intoxicação alcoólica têm sido tema de interesse científico internacional nos últimos anos e, paralelamente, tem ganhado espaço na mídia nacional. Especialmente arriscado, o beber em binge ou "binge drinking" tem sido identificado como o padrão de consumo de álcool mais prevalente entre os jovens brasileiros e está associado à frequência regular às "baladas". A literatura internacional descreve associação dos padrões mais intensos de consumo de álcool com episódios de agressão física, comportamento sexual de risco e violência sexual nos estabelecimentos de lazer noturno e acidentes de trânsito após a saída do local. A compreensão dos fatores associados a este consumo de risco de álcool nas baladas é fundamental para que programas preventivos sejam desenvolvidos e implantados a fim de diminuir os riscos associados à prática do "binge drinking". No Brasil, este tema ainda é pouco (ou quase nada) estudado e, devido a suas implicações na saúde coletiva e nas políticas públicas, merece grande aprofundamento. A análise do que ocorre na vida noturna de São Paulo é o primeiro passo para o direcionamento de ações preventivas destinadas à população exposta, baseando-se em dados da realidade local. Este projeto tem como objetivo central a análise dos comportamentos realizados após a saída das baladas e suas consequências individuais e coletivas, com enfoque no padrão "binge" de consumo de álcool, mensurado via etilômetro. Técnicas de inquérito de portal (entrada e saída), seguidas de medida da dosagem de álcool no sangue via etilômetro, serão utilizadas para quantificar o consumo de álcool pré e pós "balada" e permitirão avaliação dos comportamentos de risco posteriores à saída da balada através de questionário online via web, a ser encaminhado ao entrevistado no dia seguinte à entrevista realizada na balada.O presente projeto é parte integrante do auxílio Jovem Pesquisador da FAPESP (processo nº 2011/51658-0) e visa também capacitar a aluna do curso de medicina da UNIFESP em coleta, análise e divulgação de dados científicos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Consumo excessivo de álcool na balada expõe homens e mulheres a riscos diferentes