Busca avançada

Eficácia após 6 meses de uma intervenção virtual na diminuição da prática de binge drinking entre jovens frequentadores de baladas

Processo: 14/18602-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Zila van der Meer Sanchez Dutenhefner
Beneficiário:
Instituição-sede : Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51658-0 - Padrões de consumo de álcool e outras drogas em baladas: epidemiologia, etnografia e intervenção, AP.JP
Assunto(s):Álcool   Jovens   Comportamento de risco   Consumo de bebidas alcoólicas   Estudos de intervenção

Resumo

Recentemente as intervenções digitais para diminuição do consumo de álcool e outras drogas vem sendo testada especialmente na Europa e EUA. Uma das linhas que tem demonstrado eficácia para a população jovem, especialmente formada por universitários, é a "abordagem de normas sociais", que reconhece que os indivíduos, particularmente os jovens, tendem a superestimar o consumo de álcool de seus colegas, e que esta percepção enviesada os leva a beber mais fortemente do que fariam. A abordagem das normas sociais via internet visa reduzir esses equívocos e, assim, o consumo pessoal de álcool, através da utilização de mensagens personalizadas sobre o consumo. Apesar da disseminação do acesso à internet no Brasil e de programas de intervenção baseados na internet no exterior, este campo de estudo ainda é pouco disseminado em nosso país e, em se tratando de estudos randomizados que testem a efetividade do programa entre freqüentadores de ambientes de alto-risco, esta carência é globalizada, visto que quase todos os estudos realizados nesta temática, envolvem universitários recrutados em suas próprias universidades. Uma intervenção via internet que mostra eficácia (diminuição significativa da freqüência e quantidade de álcool consumido, considerando-se os episódios de binge) é a e-SBI, desenvolvida na Austrália e Nova Zelândia e que até hoje foi testada apenas em universitários cujo hábito de beber era danoso, estabelecido por um screening do AUDIT de 8 pontos ou mais. Imaginando que a prática de binge seja alta em ambientes de baladas (como tem sido indicada em estudos internacionais e que deve ser verificado neste estudo) e que a população alvo para esta intervenção que visa diminuir a prática de binge está nestes locais, torna-se extremamente interessante disseminar um programa via web que seja acessado em sobriedade (não no mesmo dia do binge) e que faça com que o sujeito reflita sobre seu padrão de consumo de álcool em comparação ao de sujeitos com características socioeconômicas semelhantes. Destaca-se ainda que as intervenções via web atingem uma população maior do que aquelas que dependem da busca do sujeito pelo sistema de saúde e, além disso, oferecem identificação do problema em estágios prévios à dependência. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Consumo excessivo de álcool na balada expõe homens e mulheres a riscos diferentes