Busca avançada
Ano de início
Entree

Fenologia da dispersão e estratégias de germinação de sementes de plantas lenhosas e herbáceas no cerrado

Processo: 14/21430-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Leonor Patricia Cerdeira Morellato
Beneficiário:Diego Fernando Escobar Escobar
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/27100-6 - Filogenia, traços funcionais e a evolução da dormência nas sementes de cerrado, BE.EP.DR
Assunto(s):Germinação de sementes   Dormência de sementes   Sazonalidade

Resumo

A germinação de sementes e estabelecimento de plântulas são as etapas iniciais do ciclo de vida das plantas, sendo importantes determinantes dos padrões de distribuição, abundância, diversidade e dinâmicas das comunidades vegetais. Nas regiões com clima estacional a germinação no início da estação chuvosa maximiza o período favorável ao estabelecimento, permitindo que as plântulas possam suportar as condições de baixa disponibilidade hídrica durante a próxima estação seca. Logo, a sincronia da germinação das sementes com o começo da estação chuvosa é de vital importância no recrutamento de plantas em ambientes sazonais. No entanto, em ambientes sazonais a dispersão das sementes ocorre ao longo de todo o ano e estudos em nível de comunidade sobre a ecologia e evolução de dormência são virtualmente inexistentes no Cerrado. Neste sentido, a presente proposta busca: (i) Descrever a variação na proporção de espécies com dormência no cerrado conforme o habito de crescimento, estação e síndrome de dispersão, (ii) estimar o tempo de germinação no campo, (iii) avaliar se o tipo de dormência (ou sua ausência) está relacionado com a fenologia da dispersão, teor de umidade e peso fresco das sementes, forma de dispersão e habito de crescimento, (iv) determinar quantas vezes a dormência e seus tipos evoluíram no cerrado, e quais são os processos que impulsionam a evolução da dormência nesta vegetação, e (v) avaliar se há variação intraespecífica no grau de dormência das sementes de espécies que apresentam longos períodos de dispersão, e se a eventual variação apresenta um padrão temporal. Sementes de espécies lenhosas serão colhidas numa área de cerrado s.s., enquanto que sementes de espécies herbáceas serão colhidas numa área de campo sujo, ambas as áreas no município de Itirapina (SP). Os ensaios de germinação serão feitos a 25°C e luz branca 12/12h, a dormência classificada como física, fisiológica, morfofisiológica, morfológica, ou combinatória, o grau de dormência será medido por potencial hídrico base mediano conforme o modelo de tempo hidrotérmico. Este estudo auxiliará na compreensão dos mecanismos que permitem a manutenção da diversidade nas savanas tropicais, ampliará o conhecimento do efeito da severidade climática e na definição das estratégias que controlam o tempo de germinação de espécies com diferentes hábitos nas regiões tropicais com clima sazonal. Finalmente, a informação gerada será útil nos programas de conservação e restauração ecológica, ajudando na escolha de espécies e no planejamento das coletas de sementes e tratamentos para quebrar dormência. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Cerrado tem germinação única entre savanas do mundo  

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ESCOBAR, DIEGO F. E.; SILVEIRA, FERNANDO A. O.; MORELLATO, LEONOR PATRICIA C. Timing of seed dispersal and seed dormancy in Brazilian savanna: two solutions to face seasonality. ANNALS OF BOTANY, v. 121, n. 6, p. 1197-1209, MAY 11 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.