Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de linhagem congênica de bovinos da raça Nelore com mutação no gene da miostatina

Processo: 15/20398-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Rodrigo Vitorio Alonso
Beneficiário:Thaynã Chaves e Santos
Empresa:Deoxi Biotecnologia Ltda (Deoxi)
Vinculado ao auxílio:12/51042-2 - Desenvolvimento de linhagem congênica de bovinos da raça Nelore com mutação no gene da miostatina, AP.PIPE
Assunto(s):Gado Nelore   Miostatina   Embrião de animal   Bovinos

Resumo

Os animais congênicos se caracterizam quando apenas uma região do cromossomo é transferida de uma linhagem para outra através de cruzamentos direcionados (Backcross) e monitorados por análises genéticas. O objetivo do projeto é produzir uma linhagem congênica de bovinos da raça Nelore carreando duas cópias mutadas do gene da miostatina, provenientes da raça Belgian Blue. Dessa forma, serão produzidos animais com as características raciais e produtivas desejáveis do Nelore, mas que apresentem um considerável aumento no ganho de peso e no rendimento de carcaça. Durante a Fase I, foram desenvolvidas todas as tecnologias genômicas e reprodutivas necessárias para a produção de 35 bezerras heterozigotas, de terceira geração (7/8), sendo 10 delas com genoma acima de 95% Nelore. Posteriormente, essas 10 fêmeas foram utilizadas para a produção de 150 prenhezes de quarta geração (15/16 Nelore X 1/16 Belgian Blue), utilizando touros Nelore. O nascimento desses animais ocorrerá no primeiro semestre de 2013. A aprovação da Fase III simultaneamente à Fase II do presente projeto permitirá a realização das análises fenotípicas e genotípicas necessárias para a seleção das doadoras e touros com genoma acima de 99% provenientes da raça Nelore, heterozigotos para a mutação no gene da miostatina, que formarão o núcleo fundador da linhagem homozigota. Também será realizada criteriosa análise das características zootécnicas para que possam ser avaliadas as vantagens e/ou desvantagens da utilização da linhagem na pecuária de corte. Já na Fase III, as doadoras e touros selecionados na Fase II serão utilizados para a produção de 150 animais homozigotos. Além disso, os 5 touros heterozigotos melhor avaliados serão utilizados em programa comercial de IATF, possibilitando a produção de aproximadamente 500 animais, sendo 50% heterozigotos (Myo+/Myo-) e 50% homozigotos (Myo+/Myo+). Essas análises serão de extrema importância para comprovar a viabilidade técnica e comercial da utilização dessa nova linhagem na pecuária de corte. O sucesso do projeto apresenta grande potencial de mercado, pela venda de sêmen, embriões e reprodutores, podendo causar grande aumento na produção animal e impactar diretamente a pecuária nacional. (AU)