FAPESP Logo

Uso de nuclídeos cosmogênicos produzidos in situ na reconstrução de mudanças no sistema fluvial da Amazônia durante o Cenozóico tardio (<5 Ma)

Processo: 16/09293-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:André Oliveira Sawakuchi
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Dylan Hunter Rood
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa: Imperial College London, Inglaterra
Vinculado à bolsa:14/23334-4 - Reconstrução de mudanças no sistema fluvial da Amazônia durante o Cenozóico tardio (<5 ma) por meio da integração de análises por luminescência opticamente estimulada (OSL) e nuclídeos cosmogênicos (TCN), BP.PD
Assunto(s):

Geocronologia

Bacia hidrográfica

Bacia amazônica

Riqueza de espécies

Amazônia

Resumo
A bacia hidrográfica formada pelo Rio Amazonas e seus tributários abriga um dos ecossistemas de maior biodiversidade da Terra. Estudos biogeográficos têm sugerido que a evolução do sistema fluvial amazônico desempenhou um papel fundamental para a diversificação das espécies. As principais hipóteses sugerem que o sistema fluvial amazônico adquiriu sua configuração transcontinental W-E durante o Neógeno Superior, como resposta às mudanças na tectônica do Andes. No entanto, não há consenso quanto ao período de formação das terras baixas da Amazônia, com propostas evolutivas entre 11 e 2,5 Ma. Essa lacuna de conhecimento resulta da falta de idades absolutas para os sedimentos fluviais depositados no Cenozoico superior, e a ausência de proxies adequados para comparações entre os sistemas fluviais pretéritos e modernos. Assim, este projeto de estágio tem como objetivo utilizar nuclídeos cosmogênicos (26Al e 10BE) para determinar idades de deposição e taxas de paleo-erosão dos sedimentos fluviais da Amazônia desde o Neógeno Superior (<5Ma). Esses dados contribuirão para a reconstituição da evolução dos principais rios amazônicos no espaço e no tempo, assim como para ampliar o conhecimento sobre as respostas dos rios amazônicos as mudanças climáticas, no nível do mar, e tectônicas na escala de tempo de milhares até alguns milhões de anos. Além disso, modelos geológicos mais detalhados e precisos são de suma importância na resolução de problemas a respeito da grande biodiversidade e distribuição das províncias biogeográficas da Amazônia; também no fornecimento de dados para abastecer modelos utilizados na previsão de cenários futuros nos ecossistemas regionais frente as mudanças ambientais. O estágio será desenvolvido no Imperial College London (UK), sob supervisão do Prof. Dr. Dylan Rood. Além da motivação científica já apresentada, este estágio tem como intuito dar continuidade na formação do proponente em procedimentos laboratoriais, análise e interpretação de dados de nuclídeos cosmogênicos aplicados à datação de depósitos sedimentares e quantificação de taxas de erosão. (AU)
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP