Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconstrução das mudanças climáticas nos últimos dois séculos por meio de estudos dendroclimatológicos e isotópicos de árvores na região do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

Processo: 18/07632-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Convênio/Acordo: National Science Foundation (NSF) e NSF’s Partnership for International Research and Education (PIRE)
Pesquisador responsável:Gregório Cardoso Tápias Ceccantini
Beneficiário:Milena de Godoy Veiga
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/50085-3 - PIRE: educação e pesquisa em clima das Américas usando os exemplos de anéis de árvores e espeleotemas (PIRE-CREATE), AP.TEM
Assunto(s):Isótopos estáveis   Isótopos de carbono   Mudança climática   Dendrocronologia   Clima de monção   Parques nacionais   Minas Gerais   América do Sul

Resumo

As atuais mudanças climáticas podem causar grandes impactos nas florestas mundiais e, consequentemente nos ciclos biogeoquímicos. Para que previsões de eventos extremos possam ser construídas, é preciso conhecer a variabilidade climática antes das ações antrópicas, um desafio na região tropical onde os registros instrumentais são limitados a poucas décadas. Os registros naturais, como os anéis de crescimento, permitem investigar como o clima modula o crescimento das árvores e assim fornecem registros com resolução anual de sinais climáticos anteriores as alterações humanas. O presente estudo visa construir cronologias da largura e dos isótopos de carbono e oxigênio dos anéis de crescimento de duas espécies no Parque Nacional Cavernas do Peruaçu - PNCP. Além disso, será feita a datação por 14C dos Carbonos Não-Estruturais (CNE) nos últimos 30 anos, para entender como é feita sua alocação e como uma possível dinâmica dos mesmos pode afetar as análises dendrocronológicas. A produção dessas longas séries de dados permitirá compreender a distribuição e intensidade das variações climáticas nos últimos dois séculos da região, com enfoque no sistema hidroclimático estabelecido pela Monção Sul-Americana. Os dados produzidos também podem vir a subsidiar modelos mais realistas e prever a ocorrência de eventos climáticos extremos no Brasil, auxiliando no desenvolvimento de políticas públicas para mitigar os efeitos nas populações mais vulneráveis economicamente. (AU)