site da FAPESP
FAPESP na Mídia

Publicado em: Universia Brasil em 7 de Fevereiro de 2008

Laboratório do Teletandem Brasil será inaugurado em março na UNESP Rio Preto

Desenvolvido pela UNESP com patrocínio da FAPESP, o projeto Teletandem Brasil proporciona o contato de alunos universitários brasileiros que querem aprender uma língua estrangeira com universitários de outros países que estão aprendendo português. Por meio de conferências em áudio/vídeo, utilizando o MSN Live Messenger ou o Skype, os usuários conversam em tempo real, utilizando recursos de voz, texto e imagem.

O Teletandem foi criado, no final de 2005, pelo docente da UNESP de Assis João Antonio Telles, que convidou professores da UNESP de Rio Preto (Ana Mariza Benedetti, Douglas Altamiro Consolo e Maria Helena Vieira Abrahão) para desenvolverem o projeto na unidade. De acordo com a coordenadora do Teletandem no Ibilce, a docente Maria Helena Vieira Abrahão, o trabalho iniciou-se com dois computadores doados pela FAPERP (Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Rio Preto) e, em razão do crescimento do projeto, em março será inaugurado laboratório com 19 computadores, financiado pela FAPESP.

"O Teletandem se destaca por ser um projeto amplo, que serve tanto ao ensino de língua estrangeira quanto ao desenvolvimento de pesquisas", afirma. Segundo Abrahão, o projeto tem três objetivos principais: estudar a utilização das ferramentas MSN Live Messenger e Skype no ensino de língua estrangeira; estudar como se dá a interação via teletandem; verificar como ocorre a formação do professor de língua estrangeira que utiliza tais ferramentas.

Atualmente, 16 alunos de pós-graduação do Ibilce realizam projetos de pesquisa que envolvem algum desses objetivos do Teletandem. Em 2008, oito trabalhos, de mestrado e doutorado, serão defendidos. "Até agora, o foco do projeto no Ibilce tem sido o desenvolvimento de pesquisas. Com a inauguração do laboratório, será possível que mais alunos de graduação utilizem o Teletandem como ferramenta de ensino-aprendizagem, aprendendo uma língua estrangeira e ensinando o português".

No que diz respeito ao ensino-aprendizagem via teletandem, Abrahão explica que esse é um método complementar ao ensino formal e, portanto, não deve substituí-lo. "O ideal é que o Teletandem seja utilizado como um complemento. Um aspecto muito interessante é o intercâmbio cultural que ele propicia, o que nem sempre acontece na sala de aula".

O Teletandem Brasil é realizado no Ibilce e na UNESP de Assis por meio de convênios e parcerias com universidades estrangeiras. As línguas praticadas são português, inglês, espanhol, italiano e alemão. Em razão do sucesso do projeto, Itália e Alemanha já estudam a criação do Teletandem em seus territórios: "A partir de nosso modelo, já está sendo criado o Teletandem Itália e a Alemanha estuda a criação de seu Teletandem", afirma a pesquisadora.

Fonte: http://www.universia.com.br/noticia/materia_dentrodocampus.jsp?not=40230