site da FAPESP
FAPESP na Mídia

Publicado em: JC e-mail em 20 de Junho de 2008

Alicia Ivanissevich, do Instituto Ciência Hoje, é a ganhadora do Prêmio José Reis de Divulgação Científica

Mariluce de Souza Moura, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), receberá menção honrosa

A jornalista Alicia Maria Ivanissevich, do Instituto Ciência Hoje, é a ganhadora da 28ª edição do Prêmio José Reis de Divulgação Científica, modalidade Jornalismo Científico.

A agraciada receberá R$ 10 mil e um diploma, que serão entregues durante a 60ª Reunião Anual da SBPC, que acontecerá em Campinas no próximo mês de julho. Na ocasião, a jornalista profere a palestra “A missão de divulgar ciência no Brasil”.

A jornalista Mariluce de Souza Moura, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), receberá a Menção Honrosa.

O prêmio, concedido pelo CNPq desde 1978, é destinado àqueles que contribuam significativamente na difusão da ciência e tecnologia para público leigo. Nesta edição, o CNPq recebeu inscrições de 34 candidatos, dos quais 50% da Região Sudeste, 20% do Nordeste, 15% do Sul, 12% do Centro-Oeste e 3% do Norte.

Em seu parecer, a comissão julgadora considerou “o percurso de compromisso com o jornalismo científico de Alicia Ivanissevich e também uma maneira de homenagear os 60 anos comemorados este ano pela SBPC”. Alicia trabalha desde 1985 na Revista Ciência Hoje. Para a Menção Honrosa a Mariluce Moura, o parecer foi “pela contribuição relevante e trajetória verificada na área de jornalismo científico ao longo de mais de duas décadas”.

A comissão julgadora foi formada por Mônica Teixeira (Unicamp), como presidente, Ulisses Capozzoli (Duetto Editorial), Roberto Barros de Carvalho (Instituto Ciência Hoje), Maria Ângela Cunico (CNPq), Crodowaldo Pavan (Associação Brasileira de Divulgação Científica –Abradic), Benedito Barraviera (Associação Brasileira de Editores Científico –Abec), Maria das Graças Conde Caldas (Associação Brasileira de Jornalismo Científico –ABJC) e Isaac Roitman (SBPC). O reunião foi aberta pelo diretor de Programas Temáticos e Setoriais do CNPq, José Oswaldo Siqueira.

As ganhadoras

Alicia Maria Ivanissevich é graduada em comunicação social pela Universidade do Rio de Janeiro (1985), com especialização em divulgação científica pelo Wellcome Centre for Medical Science (Inglaterra) com bolsa do Conselho Britânico. Começou trabalhando na seção Informe (atual Jornal da Ciência) da Revista Ciência Hoje. Em 1992, quando trabalhava na editoria de ciência do Jornal do Brasil, recebeu a menção honrosa do Prêmio José Reis. Atualmente é editora executiva da Revista Ciência Hoje e consultora do Programa Globo Universidade, da Rede Globo de Televisão.

Em sua justificativa, a candidata afirma que “nestas duas décadas como jornalista de ciência experimentei as diversas facetas da profissão e exerci funções em diferentes veículos de comunicação. Trabalhei como repórter, redatora, editora, consultora e formadora de recursos humanos. Esse trabalho, entretanto, está longe de ser uma missão concluída: a busca pelo aperfeiçoamento profissional e a tentativa de reduzir a distância que ainda separa a comunidade científica da sociedade permanecem como desafios”.

Mariluce de Souza Moura é graduada em jornalismo pela Universidade Federal da Bahia (1972), mestre em comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1987) e doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006).

Trabalhou no Jornal do Brasil (1987), no CNPq e na Revista Brasileira de Tecnologia – RBT (1988-1990), no Jornal Gazeta Mercantil como editora de tecnologia (1991), na Secretaria de C&T do Estado de São Paulo e na Fapesp a partir de 1995. A Fapesp foi vencedora do Prêmio José Reis – Instituição - em 2000. Atualmente, Mariluce é diretora de redação da Revista Pesquisa Fapesp.

O prêmio

A sua criação representa uma homenagem ao médico, pesquisador, jornalista e educador José Reis, falecido em 2002, aos 94 anos de idade. A diversidade dos vencedores ao longo de sua história – entre os quais veículos de comunicação, instituições de pesquisa, equipes de programas de televisão, além de pesquisadores e seus trabalhos individuais – comprova a importância do Prêmio José Reis em motivar a criação dos mais diferentes mecanismos de divulgação científica no Brasil.

(Assessoria de Comunicação do CNPq)

 

Fonte: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=56817