site da FAPESP
FAPESP na Mídia

Publicado em: ComputerWorld online (Comunicações) em 18 de Agosto de 2005

NAP do Brasil já tem 30 clientes

Por Célia Santos - Computerworld

A Terremark estima um salto de 30% na sua base de clientes do NAP do Brasil, ponto de troca de tráfego que congrega 20 empresas. Entre elas estão as instituições da FAPESP, que trocam em média 400 Mbps de tráfego de internet.
O NAP do Brasil foi criado no fim de 2002 por meio de uma parceria entre a Terremark e a FAPESP, cujo o acordo envolvia transferir a troca de tráfego das instituições plugadas na FAPESP para a Terremark e em contrapartida a FAPESP teria participação na receita da empresa nos próximos 20 anos.
A Terremark ainda fechou um acordo de leasing com a HP para hospedar o NAP do Brasil e conquistou operadoras como CTBC Telecom, Brasil Telecom e Telemar como clientes de peering (troca de tráfego entre redes).
Além do NAP do Brasil, a Terremark ainda oferece serviços de co-location (aluga espaço físico do data center) a 10 empresas. entre elas a própria Embratel, que antes da abertura do mercado era 100% responsável pelo tráfego de internet, que passou a ser disputado pelas operadoras e é o principal negócio do NAP do Brasil.
Hugo Zanon Júnior, diretor comercial da Terremark, informa que o objetivo da empresa é oferecer também peering de voz ( interligar o tráfego de voIP corporativo entre empresas) no futuro. "Esse é nosso objetivo, mas por enquanto está sendo executado somente em Miami, onde a Terremark é uma das referências de NAP do País", observa.
Hoje, o NAP do Brasil oferece somente troca de tráfego IP, cujos os produtos são: portas de 10 Mbps, 100 Mbps, 1 Giga e 10 Giga. O executivo detalha que um terço das 20 usuárias já utiliza porta de 1 Giga.