Busca avançada
Ano de início
Entree

III workshop: implicação de modificações metabólicas e epigenéticas para a neuroproteção: relevância para a pesquisa translacional

Processo: 17/26394-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 11 de junho de 2018 - 13 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Tatiana Rosado Rosenstock
Beneficiário:Tatiana Rosado Rosenstock
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fármacos neuroprotetores  Mitocôndrias  Epigênese genética  Neuroproteção 

Resumo

No workshop apresentado aqui daremos enfoque a uma abordagem integrada dos principais mecanismos que podem interferir com o funcionamento neural e, por consequência, levar a morte celular. Dentre os processos, destacaremos modificações metabólicas e epigenéticas, onde a mitocôndria possui um papel chave. Além disso, destacaremos ao longo do III Worskhop diversas doenças neurodegenerativas e neuropsiquiátricas como Doença de Huntington, Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson, Esclerose Lateral Amiotrófica, Esquizofrenia e Autismo, uma vez que são consideradas como as implicações finais da desregulação e/ou morte celular. Abordaremos também possíveis estratégias terapêuticas que possam, num futuro próximo, permitir a reversão da disfunção neural e consequentemente as suas manifestações clínicas.O principal objetivo do workshop é fornecer a base do conhecimento de como alterações na transcrição gênica, incluindo modificações epigenéticas, podem interferir com o metabolismo celular, onde as mitocôndrias são o foco principal, e vice-versa, e como tal desregulação pode levar ao mau funcionamento neural e por fim a sua morte. Pretendemos ainda, como mencionado anteriormente, discutir mecanismos que possam levar a neuroproteção devido a interferência em diferentes vias de sinalização celular - todos os tópicos do workshop estão descritos na seção 2. Consequentemente, esperamos ainda mostrar a importância da ciência básica na pesquisa translacional e a sua contextualização no mundo atual. (AU)