Busca avançada
Ano de início
Entree

A representação das atletas do UFC: mídias e práticas socioculturais

Resumo

Este projeto parte dos seguintes problemas: Como as atletas do Ultimate Fighter Championship (UFC) são midiaticamente representadas? Como e em que medida essas representações se entrecruzam com as relações de gênero em um esporte tradicionalmente masculino? A inserção das mulheres nesse esporte apontaria para reprodução e imposição de padrões de comportamento masculino para que possam ser socialmente reconhecidas? Objetivo geral é refletir sobre a representação das lutadoras do UFC, dada a urgência de uma discussão mais aprofundada sobre os padrões midiáticos e a questão do gênero na sociedade brasileira. Os objetivos específicos são: refletir de que forma essas representações se entrecruzam com as relações de gênero em um esporte tradicionalmente masculino. Problematizar a natureza das imagens femininas das atletas e suas representações midiáticas, discursivas e estetizadas. Entender como as relações de gênero são produzidas e reproduzidas simbolicamente pela mídia e qual o regime de visibilidades nelas preponderantes. O referencial teórico sobre as relações de gênero se guiará por autores como Scott (1990), Buttler (2003) e Preciado (2010). A visão social dos regimes de visibilidade será apoiada nas análises de Thompson (2008, 2005, 2000) e a problematização comunicacional das imagens, por Baitello Junior (2005, 2012). Lazzarato (2011) auxiliará na compreensão de como estas subjetividades estão sendo moduladas, de como o gênero aparece midiaticamente e da importância das imagens, além do conceito de dispositivo de Foucault (2002) e sua retomada por Deleuze (1990) e Agamben (2005). Do ponto de vista da metodologia, esta pesquisa se apoiará no circuito da cultura de Paul Du Guy et. al. (1997). As notícias em sites, jornais e revistas especializados e do UFC sobre as lutadoras serão o corpus da pesquisa. Trata-se de pesquisar o discurso como prática social, a partir das narrativas de sites de notícias do Brasil sobre o UFC e suas atletas. A importância deste tema reside na necessidade de ampliar o leque de pesquisas sobre esporte na comunicação e também das questões de gênero e da mídia como produtora de narrativas que representam e repropõem modelos de sociabilidade. (AU)