Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunogenicidade e eficácia pré-clínica de um candidato vacinal de enolase recombinante contra Sporothrix schenckii e Sporothrix brasiliensis

Processo: 17/26774-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2018 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Iracilda Zeppone Carlos
Beneficiário:Iracilda Zeppone Carlos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Esporotricose 

Resumo

A esporotricose é uma micose de evolução subaguda e crônica com lesões nodulares cutâneas ou subcutâneas e, com menor frequência disseminada em pessoas com compromentimento imunológico. O agente causal é um fungo dimórfico do gênero Sporothrix o qual faz parte de um complexo de diferentes espécies, dentre elas, S. brasiliensis, S. globosa, S. mexicana e S. schenckii sensu stricto de interesse clínico, sendo que S. lurei e S. pallida têm sido identificadas, mas estão menos relacionadas à ocorrência de doença. O gato, a exceção dos cães, são responsáveis por 45,9% da infecção nos humanos e animais que com ele coabitavam, denotando uma importante zoonose. Nos últimos anos, tem-se focado a atenção sobre os componentes da parede celular de S. schenckii que possam estar envolvidos na indução da resposta imune e no processo de adesão no tecido do hospedeiro. Resultados prévios do nosso grupo de estudo demonstraram que o soro obtido de camundongos imunizados com um extrato de 9 proteínas da parede celular de S. schenckii ATCC 16345 (Ss16345) formulado com o adjuvante hidróxido de alumínio apresentou reatividade contra duas proteínas, uma de 71 kDa e outra de 47 kDa, sendo essa última identificada como a enzima enolase presente nas cepas S. schenckii ATCC 58251, S. schenckii 1099-18 e S. brasiliensis 5110 e predita como uma adesina pela base de dados FungalRV. Ao lado desses achados, nosso laboratório tem estudado por muitos anos a resposta imune nessa infecção micótica. Assim temos demonstrado a importância dos receptores TLR-4, TLR-2, NLRs (NOD-like) e Dectina-1 no reconhecimento do S. schenckii. Diante do exposto, nosso laboratório tem o "Know how" necessário para a obtenção de um produto vacinal a partir da enolase e mais ainda, aprofundar os mecanismos de ação na interação fungo/hospedeiro, tal como é a proposta do presente projeto de pesquisa avaliando a imunogenicidade da enolase recombinante de Sporothrix schenckii (rSsEno) como um antígeno vacinal potencial contra a esporotricose e determinar o mecanismo protetor usando uma levedura knockout de S. schenckii como modelo de infecção. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PORTUONDO, DEIVYS LEANDRO; DORES-SILVA, PAULO ROBERTO; FERREIRA, LUCAS SOUZA; DE OLIVEIRA, CARLOS S.; TELLEZ-MARTINEZ, DAMIANA; MARCOS, CAROLINE MARIA; DE AGUIAR LOESCH, MARIA LUIZA; GUZMAN, FANNY; GAVA, LISANDRA M.; BORGES, JULIO CESAR; PEREIRA, SANDRO ANTONIO; BATISTA-DUHARTE, ALEXANDER; CARLOS, IRACILDA ZEPPONE. Immunization with recombinant enolase of Sporothrix spp. (rSsEno) confers effective protection against sporotrichosis in mice. SCIENTIFIC REPORTS, v. 9, NOV 20 2019. Citações Web of Science: 0.
TELLEZ-MARTINEZ, DAMIANA; PORTUONDO, DEIVYS LEANDRO; LOESCH, MARIA LUIZA; BATISTA-DUHARTE, ALEXANDER; CARLOS, IRACILDA ZEPPONE. A Recombinant Enolase-Montanide PetGel A Vaccine Promotes a Protective Th1 Immune Response against a Highly Virulent Sporothrix schenckii by Toluene Exposure. PHARMACEUTICS, v. 11, n. 3 MAR 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.