Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento socioeconômico, instituições e partidos: explicando a party membership na América Latina

Processo: 17/21519-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2018 - 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Comportamento Político
Pesquisador responsável:Pedro José Floriano Ribeiro
Beneficiário:Pedro José Floriano Ribeiro
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):18/19925-8 - Explicando a filiação partidária em democracias novas e antigas: variáveis institucionais e do lado da demanda, AP.R SPRINT
Assunto(s):Filiação partidária  Participação política  Partidos políticos 

Resumo

A formação de vínculos partidários é fator importante para a institucionalização de sistemas partidários e para a consolidação de novas democracias (Mainwaring e Torcal, 2006). Em todo o mundo, a queda da filiação aos partidos políticos (party membership) é encarada como parte do declínio geral nos modos tradicionais de participação política. Tanto um como outro são comumente explicados por meio de dados individuais provenientes de surveys de opinião pública, destacando recursos (educação, renda, idade, sexo), crenças e atitudes como principais variáveis explicativas - e pelo lado da 'oferta' de indivíduos à participação. O primeiro objetivo deste projeto é mobilizar variáveis socioeconômicas, institucionais e partidárias, agregadas ao nível local, para entender as variações nos níveis de filiação partidária entre os 5570 municípios brasileiros. São utilizadas fontes oficiais de dados, como IBGE e TSE. Dessa forma, atenta-se para fatores socioeconômicos que estruturam o contexto da participação - algo que ficou em segundo plano na literatura recente, segundo Pippa Norris (2007). Avalia-se ainda o impacto de variáveis institucionais e de 'demanda' dos partidos por recursos humanos - também fatores negligenciados (van Haute e Gauja, 2015). O segundo objetivo é expandir a análise para outros países da América Latina (México, Argentina, Peru, Chile e Uruguai), onde a coleta e confiabilidade dos dados oficiais sobre filiação ainda se colocam como barreiras aos pesquisadores. Segundo os surveys mais recentes, cerca de um terço do eleitorado do continente se identifica com algum partido (Carlin et al., 2015; Nadeau et al., 2017) - números surpreendentes, tendo em vista a fluidez dos sistemas partidários da região. Nesse sentido, o projeto possui um desenho multinível: uma análise cross-sectional de dados subnacionais em um país em um determinado momento (Brasil, com certeza; outros países, a depender dos dados), combinada a uma análise cross-national entre os países selecionados, com uma agregação nacional dos dados. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RIBEIRO, PEDRO FLORIANO; DO AMARAL, OSWALDO E. PARTY MEMBERS AND HIGH-INTENSITY PARTICIPATION: EVIDENCE FROM BRAZIL. Revista de ciencia política (Santiago), v. 39, n. 3, p. 489-515, 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.