Busca avançada
Ano de início
Entree

Paz estável, formação e solução de conflitos na América Latina: representação de sistemas de segurança regional

Processo: 18/07227-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 11 de agosto de 2018 - 15 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Política Internacional
Pesquisador responsável:Rafael Antonio Duarte Villa
Beneficiário:Rafael Antonio Duarte Villa
Pesquisador visitante: Laura Cristina Ferreira Pereira
Inst. do pesquisador visitante: Universidade do Minho (UMinho), Portugal
Instituição-sede: Instituto de Relações Internacionais (IRI). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Segurança internacional  Paz  América Latina  Intercâmbio de pesquisadores 

Resumo

As noções de paz estável e formação de conflitos são entendidas, neste trabalho, como referentes a sistemas de governança securitária regional, cuja prática e discursos se tornaram instrumentais para atores estatais e não estatais em suas lógicas, mutuamente exclusivas, definidas como paz estável e formação de conflito. Esta pesquisa tem três objetivos fundamentais: primeiro, procura construir uma cartografia política dos processos que caracterizam ambos os sistemas, envolvendo processo de formação e resolução de conflitos, bem como processos de cooperação entre atores estatais da América Latina. Em segundo lugar, para explicar como a governança securitiária da região pode ser adequadamente descrita e analisada, levando em consideração o comportamento dos atores estaduais nos últimos 20 anos, registrados em uma combinação ou sobreposição de discursos e práticas em paz estável e formação de conflitos. E em terceiro lugar, como atores não estatais e irregulares, em um contexto de violência social generalizada, afetam esses dois sistemas de governança na segurança regional e os mecanismos de resolução de conflitos abrangidos por eles. Assim, esta pesquisa propõe abordar a dinâmica regional de governança no setor de segurança, mapeando a estrutura e os atores envolvidos, bem como o processo pelo qual as mudanças sistêmicas surgiram. Para tanto, busca-se avançar dois modelos de governança sistêmica condizentes com o comportamento dos atores são analisados: formação de conflitos e paz estável. (AU)