Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação da estrutura de resistividade elétrica da crosta e manto litosférico entre o Maciço de Goiás e o Cráton Amazônico

Processo: 18/08149-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Brasil
Vigência: 16 de julho de 2018 - 15 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Mauricio de Souza Bologna
Beneficiário:Mauricio de Souza Bologna
Pesquisador visitante: Alanna Costa Dutra
Inst. do pesquisador visitante: Universidade Federal da Bahia (UFBA). Instituto de Física, Brasil
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/06114-6 - O Sistema Terra e a evolução da vida durante o Neoproterozoico, AP.TEM
Assunto(s):Geomagnetismo  Gondwana  Tectônica 

Resumo

Eletricamente, as margens sul e sudeste do cráton Amazônico são caracterizadas pela existência de uma das mais importantes anomalias da Plataforma Sul-Americana denominada Paraguay-Araguaia Conductivity Anomaly (PACA). Trata-se de uma feição alongada de alta condutividade elétrica com mais de 1200 km de extensão, aproximadamente paralela ao contato geológico entre o cráton Amazônico e as faixas Paraguai e Araguaia. Sua origem é possivelmente relacionada a processos de convergência durante o Neoproterozoico/Cambriano, e pode indicar o fechamento de uma grande bacia oceânica. Diferentemente do que ocorre no sul do cráton, onde sua geometria e posição foram bem resolvidas devido à disponibilidade de dados magnetotelúricos, na margem sudeste a PACA é bem menos conhecida uma vez que foi inferida com base exclusiva em dados geomagnéticos. Para resolver essa deficiência de informação, propomos neste projeto a realização de um perfil magnetotelúrico (MT) de cerca de 300 km de extensão cruzando ortogonalmente o segmento norte da PACA. A extremidade leste do perfil situa-se no Maciço de Goiás, próximo à cidade de Niquelândia. Rumo a oeste, o perfil atravessa o Arco Magmático de Goiás e a Faixa Araguaia, terminando sobre as rochas expostas da margem sudeste do cráton Amazônico. Sua posição aproximadamente coincide com um perfil existente de refração sísmica profunda e constitui uma extensão de um perfil MT anterior entre o cráton São Francisco e o Maciço de Goiás. O perfil MT proposto será composto por cerca de 27 estações separadas entre si por cerca de 12 km. Em todas estações serão utilizados sistemas MT de banda larga de cinco componentes, que operam na faixa de frequência de milésimos de hertz até alguns milhares de segundos. Essa faixa de frequência deve nos permitir investigar desde centenas de metros até várias dezenas de quilômetros de profundidade. Adicionalmente, sistemas de longo período deverão estender o intervalo de período em algumas das estações para aumentar a profundidade de investigação, garantindo que estruturas do manto superior sejam amostradas. Para este estudo, O IAG/USP disporá de 2 sistemas MT banda larga. Demais sistemas banda larga e de longo período serão emprestados do Pool de Equipamentos de Geofísica do Brasil, mantido no Observatório Nacional, concebido no âmbito da Rede de Estudos Geotectônicos Petrobras. Um conjunto de técnicas de processamento robusto e inversão bidimensional serão aplicadas aos dados MT. Na interpretação dos resultados MT iremos integrar dados magnéticos e gravimétricos disponíveis na região. Os recursos para coleta dos dados MT desta proposta serão provenientes do projeto Temático FAPESP em andamento, processo número 2016/06114-6. O projeto aqui proposto se encaixa no escopo do Temático em andamento, mais especificamente no Work Package 4, ao tratar da estrutura profunda do principal limite tectônico Neoproterozoico do Brasil entre o cráton Amazônico, o Maciço de Goiás e o cráton do São Francisco. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.