Busca avançada
Ano de início
Entree

Terapia com células-tronco mesenquimais como abordagem terapêutica para reduzir a progressão das lesões renais agudas e crônicas e para modular in vivo as células-tronco c-kit específicas do tecido renal

Processo: 17/23195-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2018 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Érika Bevilaqua Rangel
Beneficiário:Érika Bevilaqua Rangel
Instituição-sede: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE). Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nefrologia  Células-tronco mesenquimais  Nefropatias diabéticas 

Resumo

O diabetes mellitus (DM) é a principal causa de insuficiência renal crônica (IRC) no mundo, afetando milhares de pessoas no mundo, independente de gênero, idade, etnia ou condição sócio-demográfica. As complicações crônicas do DM incluem alterações micro- e macro-angiopáticas, sendo a principal causa também de cegueira e amputação. O bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona é a medida mais eficaz para retardar a progressão da nefropatia diabética, embora 30-40% dos pacientes progridam para a IRC. Desta forma, o estudo de novas opções terapêuticas para redução da progressão da nefropatia diabética (ND) é necessário para reduzir a morbi-mortalidade de pacientes diabéticos. Dentre estas opções terapêuticas, destacam-se a terapia celular com células-tronco mesenquimais (CTMs), a modulação de células-tronco/progenitoras específicas do tecido renal, o transplante de microbiota fecal e o uso de novas medicações orais e de novas apresentações de insulina. Os objetivos deste trabalho incluem o entendimento dos mecanismos de ação das CTMs para regeneração das células mesangiais cultivadas em meio hiperglicêmico contendo peróxido de hidrogênio in vitro. A co-cultura das CTMs com as células mesangiais submetidas ao estresse oxidativo pode restaurar a dinâmica de qualidade mitocondrial nas células mesangiais e pode ser mediada pela transferência de mitocôndrias através de nanotubos induzidos pela proteína Miro-1. Além disto, como o potencial terapêutico das CTMs é bem estabelecido em modelos pré-clinicos em roedores submetidos a lesões agudas e crônicas, iremos verificar se as CTMs retardam a progressão da ND em camundongos obesos geneticamente modificados (knockout para leptina ou BTBR ob/ob). Estes camundongos desenvolvem ND semelhante aos seres humanos, incluindo expansão mesangial, mesangiólise, podocitúria, hialinose arteriolar e fibrose túbulo-intersticial. A fim de confirmar estes achados, avaliaremos se as CTMs geneticamente modificadas contendo os fatores de crescimento HGF (hepatocyte growth factor) e klotho e desenvolvidas em nanopartículas, apresentam maior potencial terapêutico local em relação às propriedades anti-fibróticas e regenerativas quando comparadas às CTMs não geneticamente modificadas. A partir da geração de camundongos transgênicos c-KitCre; mTmG; BTBR ob/ob, injetados com tamoxifeno em determinados períodos, avaliaremos a participação das células-tronco c-Kit positivas durante a progressao da ND e sua capacidade proliferativa e de diferenciação em vários compartimentos renais, tais como epitelial tubular, endotelial, glomerular, incluindo podócitos. Avaliaremos também se a administração das CTMs e das células-tronco/progenitoras c-Kit (combo) apresenta maior potencial regenerativo do que a infusão isolada das células. Nosso trabalho é original, uma vez que os camundongos BTBR ob/ob não foram utilizados até o momento para análise da eficiência do tratamento com CTMs e para análise da expressão das células-tronco/progenitoras c-Kit in vivo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Doutorado e mestrado em terapia celular com bolsa da FAPESP