Busca avançada
Ano de início
Entree

Tratamento de câncer de mama em modelo animal via terapia fotodinâmica associada a nanossondas bifuncionais

Processo: 17/07519-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2018 - 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Leandro José Raniero
Beneficiário:Leandro José Raniero
Instituição-sede: Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D). Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP). São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Denise Maria Zezell ; Ivone Regina de Oliveira ; Maiara Lima Castilho ; Patrícia Marcondes dos Santos ; Renata de Azevedo Canevari
Assunto(s):Terapia fotodinâmica  Nanotecnologia  Nanopartículas de ouro 

Resumo

O câncer é uma doença complexa, desencadeada por diversos fatores, os quais incluem os ambientais e o estilo de vida, como os maus hábitos alimentares, tabagismo, sedentarismo entre outros, podendo também ser derivados de mutações genéticas inerente a cada indivíduo, se tornando um problema de saúde pública. Os tratamentos convencionais são agressivos e em várias ocasiões com prognóstico insatisfatório, o qual pode estar relacionado a heterogeneidade clínica dos tumores, dentre outros fatores, sendo notória a necessidade do aperfeiçoamento/desenvolvimento de novos métodos. A Terapia Fotodinâmica (TFD) é um método eficaz para o tratamento contra vários tipos de câncer pela utilização de uma radiação para ativação de um agente fotossensibilizante (droga) na presença do oxigênio molecular. Ao contrário da quimioterapia e da radioterapia, a TFD apresenta bons resultados sem toxicidade cumulativa, podendo ser utilizada mesmo em pacientes imunocomprometidos. Na TFD, a exposição do fotossensibilizador a radiação em um comprimento de onda apropriado, resulta na formação de espécies reativas de oxigênio, tais como oxigênio singleto, promovendo a morte celular. Embora esta droga seja seletiva, acumulando-se em menor concentração em células saudáveis, o aumento da captação da droga em células alvo poderia contribuir com a eficiência da TFD. Visando a necessidade de novos tratamentos contra o câncer de mama, menos invasivo, e com menores efeitos colaterais, o presente projeto propõem avaliar a ação antitumoral e toxicológica da TFD, utilizando nanossondas bifuncionais, em modelo animal. Assim, nanopartículas de ouro com o direcionamento ativo, por meio da proteína Fator de Crescimento Epidérmico (EGF) e transportadoras de Clorina e6, serão utilizadas em TFD como um método alternativo de tratamento contra o câncer de mama. (AU)