Busca avançada
Ano de início
Entree

Distribuição dos genes de subunidades de pilinas em e. coli enteropatogênica atípica e influência do meio de cultivo na expressão do operon ECP

Processo: 18/08529-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de junho de 2018 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Waldir Pereira Elias Junior
Beneficiário:Waldir Pereira Elias Junior
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de virulência  Adesinas bacterianas  Escherichia coli enteropatogênica atípica 

Resumo

As cepas de Escherichia coli enteropatogênica atípica (aEPEC) são incapazes de produzir o bundle-forming pilus (BFP), que é responsável pelo padrão de aderência localizado, uma característica da patogenicidade de cepas típicas de EPEC. A falta de BFP em cepas de aEPEC sugere que outras adesinas fimbriais ou não-fimbriais estão envolvidas em sua adesão às células hospedeiras. O objetivo deste estudo foi investigar a distribuição de importantes genes de subunidades fimbriais sabidamente importantes como fatores de adesão produzidos por vários patotipos de E. coli em uma coleção de 72 cepas de aEPEC. Nossos resultados demonstram que uma alta porcentagem (94-100%) de cepas de aEPEC abrigava os genes fimbriais ecpA, fimA, hcpA e lpfA. Outros genes fimbriais, incluindo pilS, pilV, sfpA, daaC, papA e sfa foram detectados em frequências mais baixas (1-8%). Os genes que codificam as subunidades fimbriais, que são características de E. coli enteroagregativa ou E. coli enterotoxigênica, não foram encontrados. Nenhuma correlação foi encontrada entre os perfis dos genes fimbriais e fenótipos de adesão. Como todas as cepas de aEPEC continham ecpA, o principal gene de pilina do pilus comum (ECP) de E. coli, um subgrupo de cepas ecpA+ foi analisado para transcrição de ecpRABCDE e produção de ECP, após crescimento em três diferentes condições de cultivo a 37oC. A transcrição de ecpRABCDE ocorreu em todas as condições. Contudo, a produção de ECP foi dependente do meio. Em resumo, nossos dados sugerem que as cepas de aEPEC são altamente heterogêneas em termos de seus perfis genéticos fimbriais. Apesar da falta de produção de BFP, existem outros mecanismos de aderência celular nas cepas de aEPEC para assegurar a colonização do hospedeiro, por exemplo a colonização mediada por outros pili prevalentes como o ECP. Além disso, a produção de ECP por cepas de aEPEC pode ser influenciada por fatores pós-transcricionais ainda desconhecidos. (AU)