Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da associação da irradiação do laser em baixa intensidade e membrana de poli(vinilideno-trifluoretileno)/titanato de bário no reparo de defeitos ósseos em calvárias de ratas ovariectomizadas

Processo: 17/25683-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2018 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Selma Siéssere
Beneficiário:Selma Siéssere
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Adalberto Luiz Rosa ; Karina Fittipaldi Bombonato Prado ; Márcio Mateus Beloti ; Rossano Gimenes ; Simone Cecilio Hallak Regalo
Assunto(s):Polímeros  Osteoporose  Osso e ossos 

Resumo

A osteoporose é uma doença que compromete a resistência e a qualidade do tecido ósseo. Diferentes metodologias no campo da Odontologia têm sido utilizadas em busca do reparo ósseo frente a esta doença que pode predispor a doenças periodontais, acelerando a perda do osso alveolar. A laserterapia em baixa intensidade é uma técnica que vem sendo utilizada em busca da neoformação óssea. Diferentes tempos, número de aplicações, comprimentos de onda e densidades de energia tem sido estudadas. Outra metodologia é a regeneração tecidual guiada. Experimentos in vitro e in vivo tem demonstrado resultados favoráveis da utilização da membrana obtida pela associação do polímero de poli(vinilideno-trifluoretileno) e da cerâmica de titanato de bário (P(VDF-TrFE)/BT) quando comparada à membrana de politetrafluoretileno (PTFE). Assim, este estudo tem como objetivo avaliar in vivo a resposta do tecido ósseo à laserterapia de baixa intensidade quando associada aos dois tipos de membrana, PTFE e P(VDF-TrFE)/BT, em defeitos ósseos em calvárias de ratas com modelo experimental para a osteoporose. Ratas Wistar Hannover (300g) serão submetidas à simulação de cirurgia de ovariectomia bilateral (Grupo 1 - Sham; n=5) e à cirurgia de ovariectomia bilateral (n=35). Após 90 dias serão realizados defeitos ósseos (5 mm) na calvária de todos os animais e os animais ovariectomizados serão distribuídos em quatro grupos: Grupo 2 - sem membrana e sem aplicação de laser (n=5); Grupo 3 - membrana de P(VDF-TrFE)/BT (n=10); Grupo 4 - membrana de P(VDF-TrFE)/BT + aplicação de laser (n=10); Grupo 5 - membrana de PTFE + aplicação de laser (n=10). O laser a ser utilizado será o diodo arseneto de gálio-alumínio (AsGaAl), com comprimento de onda de 780 nm e densidade de energia ou fluência de 30J/cm2 (12 sessões). Ao final de trinta dias da confecção do defeito ósseo, os animais serão eutanasiados e serão realizados os seguintes ensaios: (1) análise tomográfica (micro-CT) dos defeitos previamente criados; (2) análise histológica com base em cortes histológicos não descalcificados; (3) PCR em tempo real para detecção de RNAm para os marcadores osteoblásticos fator de transcrição 2 com domínio Runt (RUNX2), fosfatase alcalina (ALP), sialoproteína óssea (BSP), osteocalcina (OC), osteopontina (OPN), osterix (OSX), ligante do receptor para a ativação do fator nuclear kappa B (RANKL) e osteoprotegerina (OPG); e para os marcadores osteoclásticos receptor para a ativação do fator nuclear kappa B (RANK), catepsina K, metaloproteinase-9 da matriz (MMP-9) e receptor para a calcitonina. Os testes estatísticos para analisar os resultados numéricos serão selecionados de acordo com a distribuição das amostras. (AU)