Busca avançada
Ano de início
Entree

Selection of adjuvant chemotherapy for colorectal cancer patients based on methylated circulating tumor DNA

Processo: 18/50013-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2018 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Emmanuel Dias-Neto
Beneficiário:Emmanuel Dias-Neto
Pesq. responsável no exterior: Anders Jakobsen
Instituição no exterior: University of Southern Denmark (SDU), Dinamarca
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/26897-0 - Epidemiologia e genômica de adenocarcinomas gástricos no Brasil, AP.TEM
Assunto(s):Neoplasias colorretais  Quimioterapia adjuvante  Metástase neoplásica  Metilação de DNA  Biomarcadores tumorais  Cooperação internacional 

Resumo

O câncer colorretal (CRC) tem hoje uma sobrevida de -50% após 5 anos de seguimento. Apesar da cirurgia apresentar alta taxa de cura, a doença frequentemente recorre em 2 anos com o aparecimento de metástases distantes. Após a cirurgia o tratamento quimioterápico é feito baseado na classificação. O estadiamento II (T1-4 N0 M0) constitui 25% de um grupo bastante heterogêneo. O prognóstico em geral é bom, com uma sobrevida em 5 anos de 80-85%, mas uma pequena fração dos pacientes de estágio II tem uma alta mortabilidade comparada ao estágio III. A literatura indica que a terapia adjuvante só beneficia uma fração pequena dos pacientes. Resultados do Departamento de Genética Clínica do Hospital de Vejke, na Dinamarca, mostrou que gene NPY está metilado apenas em câncer colorretal, mas não em tecidos normais. A metilação do gene NPY (mNPY) também foi avaliada em amostras de plasma e estava metilada em 25 de 50 casos de câncer colorretal e em 81 dos 88 pacientes com doença metastática (92%). Neste sentido, este projeto objetiva avaliar mNPY no plasma de 100 pacientes dinamarqueses a validação em 200 pacientes brasileiros, buscando avaliar se este é um biomarcador adequado na predição de pacientes com CRC estágio ll que se beneficiarão da terapia adjuvante. Além disso, um biorepositório de plasma será coletado com objetivo de avaliar outros biomarcadores promissores. (AU)