Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle de emissão e avaliação da deposição seca de partículas finas emitidas por processo de combustão de biomassa

Processo: 18/00697-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2018 - 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica - Fenômenos de Transportes
Pesquisador responsável:Maria Angélica Martins Costa
Beneficiário:Maria Angélica Martins Costa
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Pesq. associados:Arnaldo Alves Cardoso ; João Andrade de Carvalho Junior ; Kelly Johana Dussán Medina
Assunto(s):Material particulado  Monitoramento ambiental 

Resumo

O Brasil foi considerado o maior produtor e exportador de açúcar e o segundo maior de etanol em 2016, ressaltando a importância deste setor na economia brasileira. No entanto, para suprir as demandas energéticas desta atividade, o bagaço de cana-de-açúcar excedente do processo é utilizado como combustível em caldeiras e sua queima produz uma quantidade expressiva de poluentes gasosos e material particulado, os quais são altamente nocivos ao meio ambiente e à saúde humana. É necessária uma avaliação ambiental ampla, pois a combustão do bagaço da cana de açúcar e os processos químicos que ocorrem na atmosfera favorecem a formação de material particulado mais finos. Deve-se avaliar suas emissões a atmosfera, a imissão e seu devido controle a nível industrial, tendo em conta a qualidade do ar, as taxas de emissões, as concentrações e distribuição de tamanho, as modificações químicas ocorridas na atmosfera e as vias de deposição destes poluentes. A nível industrial, o devido controle de emissões de gases e partículas para a atmosfera deve ser efetivo, valendo-se de equipamentos de coleta adequados, capazes de tratar os efluentes na saída das caldeiras. No processo de imissão, devido a deposição seca por exemplo, a determinação da composição química de material particulado em diferentes tamanhos é essencial para se conhecer o tipo, a intensidade das fontes de emissão e as alterações do clima em uma determinada região. Diante da expansão do plantio da cana de açúcar, produção de açúcar e álcool e do uso do bagaço no setor energético, o objetivo deste projeto é avaliar de forma mais profusa o quesito das emissões de material particulado por meio de uma análise ambiental e pontual em fonte fixa, avaliar o lavador Venturi como equipamento de controle de emissões. Considerando que este apresenta maior valores de eficiência de coleta para partículas finas e a vantagem de tratar emissões gasosas simultaneamente. Com o desenvolvimento deste projeto serão gerados resultados das emissões destes poluentes com o uso deste combustível, evidenciando cenários e os possíveis danos ambientais. Indicando variáveis de operação na otimização de equipamento com maior eficiência no controle de partículas finas e ultrafinas e assinalar na atmosfera a presença de compostos que são marcadores de queima de biomassa. Salienta-se que com o desenvolvimento deste projeto pretende-se a inserção de uma nova linha de pesquisa no Departamento de Bioquímica e Tecnologia Química do Instituto de Química da UNESP-Araraquara para ampliação de estudos do monitoramento e controle de poluição ambiental. Complementado novos conhecimentos teóricos e práticos da área de controle ambiental para curso de Engenharia Química, recém instalado neste instituto, a nível de pós-graduação e graduação. Este projeto está vinculado ao projeto Fapesp no 2016/23209-0 do qual será utilizado toda a estrutura de equipamentos permanentes para o processo de combustão da biomassa e equipamento de controle de poluição. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.