Busca avançada
Ano de início
Entree

Congresso clínica psiquiátrica - 5 edição

Processo: 17/24942-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 20 de abril de 2018 - 21 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Eurípedes Constantino Miguel Filho
Beneficiário:Eurípedes Constantino Miguel Filho
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Psicologia  Neurologia  Neuropsiquiatria 

Resumo

A programação do congresso tem um fio condutor e visa trazer o que há de mais recente em termos de conhecimento na área de saúde mental. Feita com os principais experts do país, dentro dos programas de pós-graduação de maior nível, trazendo conhecimentos do "estado da arte" em psiquiatria e áreas correlatas; evento envolve alunos em diferentes fases de formação e apresentação de pôsteres e trabalhos científicos. Há uma ênfase na tradução de conhecimentos que possam ser utilizados na prática clínica. Facilita-se ainda a interação entre os conferencistas nacionais e internacionais com o objetivo do desenvolvimento de futuros projetos de pesquisa. As plenárias trazem conferências que reflitam mudanças de paradigmas na prática clínica. Por exemplo, entre os convidados teremos este ano o Prof. Daniel Pine, um dos integrantes do NIMH que avalia o impacto e progressão do RDoC. Prof. Phil Corlett, da Yale, vai demonstrar a aplicação prática no entendimento dos Delírios e Alucinações. O prof. David Ross, também da Yale, vai apresentar como estes novos conhecimentos da Neurociência podem ser incorporados no novo currículo de formação dos profissionais de saúde mental. Mais especificamente, a Prof. Daniela Shiller, da Universidade de Columbia, trará informações no contexto da ansiedade e o Prof. Hodgins, da Universidade de Calgary sobre transtornos aditivo e de impulso. Em temos de novas intervenções, John Cryan, da Universidade Cork da Irlanda, vai falar sobre as relações entre cérebro e microbiota e da evidência de novos tratamentos com probióticos ou transplantes de fezes para os transtornos mentais.As mesas da tarde dividem o público em 3 salas, para discussões mais aprofundadas em forma de mesas redondas sobre temas que envolvem transtornos mentais ao longo do ciclo da vida.A escolha por uma das salas, no entanto, não sacrifica o conteúdo. Todas as palestras são gravadas e ficam disponíveis aos congressistas para assistirem posteriormente. (AU)