Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaio diagnóstico de campo para Zika e doenças relacionadas à outros Flavivirus

Resumo

Testes diagnósticos rápidos são urgentemente necessários para ajudar a detectar e controlar a dispersão de Zika, como também de outros Flavivirus. Um dos primeiros desafios é o de diagnosticar propriamente a infecção pelo virus. O diagnóstico é desafiador por diversas razões: primeiramente, a infecção pode ser assintomática ou indivíduos podem apresentar sintomas mais brandos e, portanto, a notificação pode ser descartada ou confundida com uma infecção por dengue ou chikungunya. O segundo desafio para detecção do Zika é técnica: as ferramentas para detecção são pouco sensíveis e específicas e a similaridade com outros vírus do gênero Flavivirus pode levar a reações cruzadas, especialmente em testes sorológicos de pacientes com infecção anterior a outros vírus do gênero. Em outras palavras, o Zika causa uma resposta imune que produz anticorpos com um grau de similaridade com outros Flavivirus, como nas infecções pelos vírus da febre amarela, encefalite japonesa e dengue. Embora a infecção pelo vírus tende a ser assintomática, há relatos do envolvimento do vírus em manifestações da Síndrome de Guillain-Barré e um aumento nos casos de microcefalia no Brasil. Portanto, testes diagnósticos confiáveis são necessários para determinar mulheres grávidas foram expostas de forma que médicos podem monitorar o desenvolvimento fetal em mães infectadas. Podem fornecer informações importantes para epidemiologistas que estejam rastreando Zika e dengue, como também auxiliar gestores de saúde a estabelecer medidas de controle eficazes. O objetivo deste projeto é: i. Desenvolver e validar um dispositivo diagnóstico com o apoio de tecnologias patenteadas e licenciadas pelo proponente e seu grupo de pesquisa, baseado no Instituto de Química da UNESP, através de um acordo de cooperação internacional em vigência envolvendo a Universidade de Oxford e Oxford Impedance Diagnostic; ii. Encontrar marcadores genéticos no genoma completo de Zika para produzir peptídeos imunodominantes específicos, que serão utilizados para a produção de ensaios imunoenzimáticos (ELISA); iii. Desenvolver e validar ELISAs para detectar o vírus Zika (Sandwich-Elisa) como também a resposta imune à infecção pelo vírus (ELISAs IgM, IgG e Competitivo); iv. Realizar vigilância viral em amostras de soro e urina de cidades de quatro regiões diferentes do país, avaliando aspectos clínicos e epidemiológicos das infecções; v. Avaliar se padrões espaço-temporais impactam a transmissão de Zika; vi. Analisar o genoma completo de vírus Zika recuperados da vigilância e avaliar se diferenças genéticas podem estar relacionadas a manifestações severas. O projeto visa integrar a vigilância viral com o desenvolvimento de métodos e a posterior aplicabilidade desses métodos no serviço. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GARROTE, BEATRIZ L.; SANTOS, ADRIANO; BUENO, PAULO R. Label-free capacitive assaying of biomarkers for molecular diagnostics. Nature Protocols, v. 15, n. 12 OCT 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.