Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de descendentes expostas ao diabete moderado intrautero, submetidas à dieta hiperlipídica no período pós-natal e tratadas com mistura de cálcio e vitamina D durante a prenhez

Resumo

Diabete é uma síndrome caracterizada por alteração na função da célula beta-pancreática em sintetizar/secretar insulina ou pelo fato da insulina não exercer sua ação nos tecidos periféricos de forma adequada, levando ao aumento da concentração de glicose circulante (hiperglicemia). A literatura descreve, dentre os mecanismos fisiopatológicos envolvidos na síndrome, o quadro de estresse oxidativo relacionado às repercussões da hiperglicemia em diversos órgãos e sistemas. A gravidez por si só causa um desequilíbrio entre a formação de radicais livres e o sistema de defesa antioxidante, causando o estresse oxidativo. Em função de variáveis de estudo e por razões éticas, muitos modelos experimentais são utilizados para investigar o binômio diabete e gravidez. Em nosso laboratório de pesquisa, foi desenvolvida uma série de modelos para indução do diabete de intensidade grave (mimetizando a glicemia do Diabetes mellitus tipo 1 descompensado) e de intensidade moderada (para reproduzir a glicemia do DM tipo 2 e/ou DM Gestacional). Estes modelos foram relevantes para melhorar nosso entendimento sobre os mecanismos no binômio diabete e prenhez em ratas, especialmente considerando as repercussões no organismo materno (desempenho reprodutivo, analise morfológica do pâncreas endócrino, estresse oxidativo e perfil lipídico no sangue e fígado), avaliação do crescimento e desenvolvimento fetal e avaliação morfológica, de citocinas e estresse oxidativo na placenta. Frente a estes resultados, foi possível confirmar a programação fetal em função da presença de um ambiente intrauterino materno desfavorável causado tanto pelo diabete grave quanto pelo diabete moderado. A partir da verificação de que descendentes de ratas com diabete moderado apresentam alterações glicêmicas na vida adulta e desempenho reprodutivo prejudicado e, considerando que possa existir um paralelismo entre a situação humana atual e a experimental com relação presença de filhos de diabéticas que se alimentam de forma inadequada após o aleitamento materno, pretendemos avaliar como a fusão de duas condições desfavoráveis (ambientes intrauterino com picos hiperglicêmicos e exposição à dieta com excesso de caloria na vida pós-natal) irá refletir na condição materna destes animais de laboratório com relação a parâmetros de reprodução, estresse oxidativo, pâncreas endócrino, perfil lipídico, crescimento fetal e perinatal. Além disso, pelo fato de resultados prévios em nosso laboratório confirmar os efeitos benéficos de uma mistura com cálcio e vitamina D em ratas com diabete moderado, investigaremos também como o tratamento com esta mistura influencia filhas de diabéticas submetidas à dieta hiperlipídica desde o desmame. Este tratamento visa normalizar o estado redox destas ratas, contribuindo para uma melhor condição dos órgãos e sistemas maternos e, possivelmente, favorecendo o processo de programação fetal. (AU)