Busca avançada
Ano de início
Entree

Infecção endodôntica primária versus secundária: perfil inflamatório e lipídico, perfil microbiano, níveis de endotoxinas e de ácido lipoteicóico antes e durante a terapia endodôntica e sucesso após 18 meses de tratamento

Processo: 18/01703-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2018 - 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Marcia Carneiro Valera Garakis
Beneficiário:Marcia Carneiro Valera Garakis
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Flávia Goulart da Rosa Cardoso
Bolsa(s) vinculada(s):19/05826-0 - Infecção endodôntica primária versus secundária: perfil inflamatório e lipídico, perfil microbiano, níveis de endotoxinas e de LTA antes e durante a terapia endodôntica e sucesso após 18 meses de tratamento, BP.TT
Assunto(s):Endotoxinas  Citocinas  Lesões periapicais 

Resumo

Os objetivos do presente estudo serão: a) quantificar endotoxinas (EU/ml), ácido lipoteicóico (LTA) e carga microbiana em dentes com infecções endodôntica primária e secundária, antes e após o preparo biomecânico (PBM) e após o uso de diferentes medicações intracanais (MIC); b) analisar os níveis de IL-1, IL-6, IL-10 e TNF-±, Resolvina E1, Resolvina E2 e Lipoxina A4 do fluido intersticial nas infecções endodônticas primárias com o uso de diferentes medicações; c) monitorar e relacionar níveis de endotoxinas (EU/mL), LTA e micro-organismos cultiváveis com a volumetria (UFC/mL) da lesão periapical em casos de infecção endodôntica secundária tratadas em única ou múltiplas sessões e correlacionar estes dados com o volume da lesão periapical e com sinais e sintomas clínicos; d) comparar o sucesso do tratamento endodôntico nos casos de infecção endodôntica secundária após 18 meses, realizados em sessão única e múltiplas sessões. Serão selecionados 60 dentes com necrose pulpar e lesão periapical, sendo 36 dentes com infecção primária e 24 dentes com infecção secundária. Após abertura coronária, será realizada coleta inicial para verificação da presença de infecção nos canais radiculares. Em seguida, será realizado tratamento endodôntico utilizando solução de NaOCl 2,5% e sistema reciprocante Reciproc (VDW, Munich, Germany) e os dentes divididos em 5 grupos de acordo com o protocolo de tratamento: I)tratamento de dentes com infecção endodôntica primária: em sessão múltipla MIC: G1- Ca(OH)2: hidróxido de cálcio P.A. + solução salina fisiológica; G2- Ca(OH)2 + CLX: hidróxido de cálcio P.A. + clorexidina gel 2%, G3 - NAC + SS: N-acetilcisteína + solução salina fisiológica e II)retratamentos endodônticos: G4 - retratamento em sessão única (RU) e G5 - retratamento em múltiplas sessões com medicação de Ca(OH)2 P.A. + solução salina fisiológica (RM). Serão realizadas coletas do canal radicular após o PBM, remoção da MIC e após ampliação foraminal. Para todas as coletas serão realizados testes de atividade antimicrobiana por cultura microbiológica (UFC/mL), análise da quantificação de endotoxinas (EU/mL) pelo lisado de amebócitos de Limulus, detecção e quantificação de ácido lipoteicóico (LTA) pelo método de ELISA e análise da presença de citocinas pelo teste ELISA. Será realizada a volumetria da destruição óssea periapical através da TCFC utilizando o software Nemotec® para os grupos de retratamento. Além disso, será realizado controle do tratamento endodôntico, para comparar a volumetria da lesão periapical antes e após 18 meses de tratamento realizado em sessão única x múltiplas sessões nos casos de infecção endodôntica secundária. Todos os dados serão analisados estatisticamente. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.