Busca avançada
Ano de início
Entree

Propriedades da hesperidina na modulação da doença periodontal in vivo e no metabolismo de células ósseas in vitro

Processo: 18/06693-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2018 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Luis Carlos Spolidorio
Beneficiário:Luis Carlos Spolidorio
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Pesq. associados: Patricia Almeida Miguez
Assunto(s):Osteogênese  Doenças periodontais  Hesperidina  Reabsorção óssea 

Resumo

Hesperidina é um glicosídeo pertencente à subclasse das flavononas, encontrado abundantemente em frutas cítricas, e apresenta múltiplas propriedades biológicas e tem suas ações farmacológicas frequentemente revisadas, uma vez que parece apresentar efeitos benéficos na prevenção e complicações do diabetes mellitus e das dislipidemias além de se mostrarem com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Este potencial, associado à virtual ausência de citotoxidade, torna este composto de interesse e potencial para aplicações relacionadas à saúde. Os relatos referentes à atividade anti-inflamatória e antioxidante da hesperidina são variáveis, porém, incluem informações promissoras em alguns tipos de doenças como câncer e osteoporose. Entretanto, as informações relativas ao potencial terapêutico da hesperidina especificamente em doenças inflamatórias crônicas como a que acomete o periodonto são escassas. Portanto, foi aventada a hipótese de que a hesperidina promova a osteogênese, bloqueie a osteoclastogênese e reduza a resposta inflamatória, e possua efeito terapêutico na periodontite. Dessa maneira, os seguintes objetivos foram estabelecidos: Objetivo específico #1: Avaliar, in vitro, a ação da hesperidina sobre a osteogênese, osteoclastogênese e produção de mediadores inflamatórios. Abordagem experimental - Serão utilizadas células Raw 264.7 e MC3T3-E1. As células serão submetidas às doses de 1, 100 e 500µM de hesperidina, em experimentos que serão avaliados a diferenciação e função de osteoblastos (avaliando-se a expressão de genes reguladores do metabolismo ósseo, formação de nódulos mineralizados, organização e maturação de colágeno), a osteoclastogênese (avaliando-se a diferenciação de osteoclastos por TRAP, atividade de osteoclastos e pontos de reabsorção), e avaliação da expressão de mediadores inflamatórios em macrófagos estimulados, utilizando-se Bioplex 200. Objetivo específico #2: Avaliar, in vivo, a ação terapêutica da hesperidina sobre a periodontite experimental em camundongos. Abordagem experimental - Será utilizado modelo de doença periodontal injetando bactérias ao redor dos molares superiores em camundongo. Após o período experimental de indução da doença, os camundongos serão tratados com 1µM 100µM ou 500µM de hesperidina. por gavagem oral. Os animais serão eutanasiados e as amostras coletadas para análise do volume ósseo, através de microtomografia computadorizada - µCT; análise estereométrica do processo inflamatório gengival em cortes histológicos corados por H&E; e de osteoclastos por imuno-histoquímica de TRAP. (AU)