Busca avançada
Ano de início
Entree

Linfócitos B podem ser ativados para apresentar antígenos e promover atividade anti-tumoral.

Resumo

Tumores apresentam vários mecanismos de evasão do sistema imune, entre eles a redução da eficácia de apresentação de antígenos por APCs. Linfócitos B podem ter atividade anti-tumoral, mas também podem ser modulados para funcionar como células apresentadoras de antígenos para ativação de linfócitos T, e disparar respostas anti-tumorais. Enquanto células dendríticas são as melhores ativadoras de células T naive, seus precursores, os monócitos, são frequentemente modulados por tumores, tornado-se tolerogênicos. Em pacientes com câncer cervical, nós observamos que as células dendríticas derivadas de monócitos são tolerogênicas, impedindo a ativação alogênica de linfócitos T. Nesse trabalho, nós mostramos que linfócitos B isolados de pacientes com câncer do colo uterino respondem a tratamento com sCD40L e IL-4 aumentando a frequência da população CD80+CD86+, e, portanto, o seu potencial de apresentação antigênica. Para testar se linfócitos B poderiam mesmo ativar respostas anti-tumorais, nós estabelecemos um modelo experimental onde linfócitos T, B e células dendríticas coletados de camundongos com tumor HPV16+, são transferidos, após ativação das células apresentadoras de antígenos para camundongos RAG1-/- previamente injetados com células tumorais. Nós mostramos que linfócitos B, de camundongos com tumor, ativados com anti-CD40 são capazes de induzir respostas imunes secundárias em linfócitos T, dependentes da expressão de MHC-II. Além disso, nós mostramos que as células dendríticas dos mesmos animais eram resistentes a esse estímulo e incapazes de induzir respostas imunes. Nossos resultados sugerem que linfócitos B podem ser usados como uma ferramenta em imunoterapia contra câncer. (AU)