Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão de genes relacionados à síntese de microcistina em cianobactérias submetidas ao estresse fisiológico: implicações das mudanças climáticas globais.

Processo: 17/13302-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2018 - 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Maria Do Carmo Bittencourt de Oliveira
Beneficiário:Maria Do Carmo Bittencourt de Oliveira
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Adriana Sturion Lorenzi ; Micheline Kézia Cordeiro de Araújo
Assunto(s):Ecologia molecular  Expressão gênica 

Resumo

Devido aos recorrentes eventos de mudanças climáticas globais, diversos fatores combinados têm favorecido a formação de florações de cianobactérias tóxicas e aumento na produção de cianotoxinas. As microcistinas (MC) são cianotoxinas que apresentam-se amplamente distribuídas em ambientes de água doce no mundo, com vários registros de intoxicação humana e óbitos. Nesse sentido, o conhecimento dos processos de ritmos circadianos e ecofisiológicos envolvidos na produção e liberação de microcistinas é de grande interesse científico, pois auxiliam no manejo e prevenção de acidentes nos ecossistestemas aquáticos destinados ao abastecimento público de água à população. Esse estudo tem por objetivo avaliar os efeitos combinados das condições de mudanças climáticas, como, intensidade luminosa, temperatura e radiação ultravioleta (UV-B), sobre o ritmo circadiano da produção e liberação de microcistinas, expressão dos genes mcyD e mcyE, estresse oxidativo e crescimento populacional de Microcystis aeruginosa (BCCUSP232) e Sphaerospermopsis aphanizomenoides (BCCUSP55). Os experimentos serão realizados sob condições controladas, simulando combinações de condições de mudanças climáticas que ocorrem na natureza através de ciclos de 24h (claro:escuro, 12:12h) durante a fase exponencial de crescimento de cianobactérias. Durante os ciclos, amostras serão coletadas a cada 4 horas e analisadas quanto aos efeitos dessa combinação sobre o ritmo circadiano da produção e liberação de microcistinas por quota celular, expressão do gene mcyE, estresse oxidativo (produção de espécies reativas de oxigênio, atividade de catalase, superóxido dismutase e peroxidase), concentração de CO2 livre e crescimento de cianobactérias. Testes estatísticos serão aplicados de acordo com a normalidade e homogeneidade dos dados. (AU)