Busca avançada
Ano de início
Entree

Síndrome corticobasal: estudo longitudinal dos perfis clínicos e fisiopatológicos

Processo: 17/10033-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2018 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Sonia Maria Dozzi Brucki
Beneficiário:Sonia Maria Dozzi Brucki
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Artur Martins Novaes Coutinho ; Carlos Alberto Buchpiguel ; Claudia da Costa Leite ; Jacy Bezerra Parmera
Assunto(s):Doença de Alzheimer  Neurologia 

Resumo

A Síndrome Corticobasal está classificada no âmbito das síndromes parkinsonianas atípicas e associa-se a uma constelação de patologias subjacentes, dentre elas a Degeneração Corticobasal, Doença de Alzheimer, Paralisia Supranuclear Progressiva e Demência Frontotemporal. Até o momento, não existem alterações clínicas características ou achados de exames de imagem amplamente disponíveis que possam sugerir a etiologia mais provável do fenótipo clínico. Por outro lado, diversos estudos clínicos vêm buscando terapêuticas específicas direcionadas para a patologia das doenças neurodegenerativas, sobretudo com ação como drogas modificadoras e neuroprotetoras da doença. Portanto, obter o conhecimento sobre qual a causa fisiopatológica das demências e transtornos cognitivos torna-se algo essencial. Objetivos: Analisar o perfil neuropsicológico de uma coorte de pacientes com a síndrome Corticobasal e comparar a presença de biomarcadores da doença de Alzheimer (PET-CT com marcador amiloide, PET-CT com marcador fluordeoxiglicose e ressonância magnética estrutural) e da patologia TAU (ressonância magnética estrutural e PET com marcador fluordeoxiglicose) neste grupo, a fim de encontrar aspectos sugestivos destas patologias antemortem. Os objetivos secundários são comparar as alterações cognitivas e distúrbios do movimento mais prevalentes nesta coorte, correlacionando-os às possíveis patologias subjacentes, assim como comparar os diversos padrões de acometimento de linguagem nos pacientes estudados, e, por fim, procurar validar métodos diagnósticos in vivo que possam no futuro nortear a escolha do tratamento mais específico para tais doenças neurodegenerativas. Metodologia: A amostra será constituída por pacientes com diagnóstico clínico de Síndrome Corticobasal provável recrutados a partir do ambulatório de neurologia cognitiva e comportamental e do ambulatório de distúrbios do movimento do serviço de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Os voluntários serão submetidos à avaliação clínica neurológica, neuropsicológica e avaliação fonoaudiológica e serão seguidos longitudinalmente e comparados quanto à presença de biomarcadores para patologia de Doença de Alzheimer e da patologia Tau. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PARMERA, JACY BEZERRA; COUTINHO, ARTUR MARTINS; ARANHA, MATEUS ROZALEM; STUDART-NETO, ADALBERTO; DE GODOI CARNEIRO, CAMILA; DE ALMEIDA, ISABEL JUNQUEIRA; FONTOURA SOLLA, DAVI J.; ONO, CARLA RACHEL; BARBOSA, EGBERTO REIS; NITRINI, RICARDO; BUCHPIGUEL, CARLOS ALBERTO; BRUCKI, SONIA MARIA DOZZI. FDG-PET Patterns Predict Amyloid Deposition and Clinical Profile in Corticobasal Syndrome. MOVEMENT DISORDERS, NOV 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.