Busca avançada
Ano de início
Entree

Mastite bovina: controle pelo uso de nanopartículas polyplex administradas localmente

Processo: 17/50461-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2018 - 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Convênio/Acordo: BBSRC, UKRI ; Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil
Pesquisador responsável:Marcos Veiga dos Santos
Beneficiário:Marcos Veiga dos Santos
Pesq. responsável no exterior: Liam Good
Instituição no exterior: University of London, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Mastite bovina  Staphylococcus aureus  Resistência microbiana a medicamentos  Nanopartículas  Anti-infecciosos  Hidrocloreto de poli-hexametileno guanidina 
Publicação FAPESP:https://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/fapesp_uk_8MUVrO9_60_60.pdf

Resumo

O controle da mastite apresenta desafios significativos, mas a natureza da doença também oferece oportunidades de intervenção. Os desafios associados à resistência antimicrobiana, formação de biofilmes e cepas invasivas nos inspiraram a testar o potencial uso de um polímero orgânico, hidrocioreto de polihexametileno guanidina (PHMG) para matar agentes patogênicos antimicrobianos e intracelulares. O PHMB oferece uma oportunidade importante para controle de agentes causadores de mastite. O PHMB nunca foi avaliado para controle de Mastite, mas oferece uma estratégia simples, sem uso de antibióticos de matar agentes patogênicos invasivos e resistentes aos antibióticos. Consideramos que a nossa abordagem pode ser desenvolvida por meio de um procedimento de desinfeção de tetos e, no longo prazo, de um tratamento durante o período de "secagem". A principal vantagem de usar um polímero antimicrobiano, particularmente o escolhido para este estudo, é que a resistência adquirida ainda não foi observada. Além disso, o polímero oferece vantagens adicionais, incluindo a capacidade de matar bactérias intracelulares e degradar biofilmes. Finalmente, o conceito de uso de polímero antimicrobiano é diferente das atuais estratégias de antibióticos, o que justifica a importância de testar a sua eficácia. Os principais objetivos científicos para o estágio pump-priming são: a) Desenvolvimento de formulação para uso como desinfetante de tetos (teat-dip) usando nanopartículas de polyplex antimicrobiano; b) Caracterizar in vitro a invasão de células hospedeiras e os fenótipos de formação de biofilmes de cepas de S. aureus isoladas de casos de mastite no Brasil; c) Avaliar as potências antimicrobianas contra S. aureus planctônico, intracelular e em biofilme; d) Avaliar a aderência de nanopartículas de polyplex em tecido de tetos e a velocidade e duração antimicrobiana ex-vivo. (AU)