Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema de higienização de pacientes acamados - HIGISIS

Processo: 17/22836-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de setembro de 2018 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Henrique Cunha Carvalho
Beneficiário:Henrique Cunha Carvalho
Empresa:Medical Systems Instruments Indústria e Comércio Ltda. - ME
CNAE: Fabricação de aparelhos eletromédicos e eletroterapêuticos e equipamentos de irradiação
Município: Jambeiro
Pesq. associados:Adriana Barrinha Fernandes ; Renato Amaro Zângaro
Auxílios(s) vinculado(s):19/15944-0 - 24th IoA World Congress & exhibition on ozone & advanced oxidation, AR.EXT
Bolsa(s) vinculada(s):18/19027-0 - Gerador de ozônio voltado para a desinfecção de linha de água de equipamento médico-hospitalar, BP.PIPE
Assunto(s):Banho no leito  Pacientes internados  Assistência ao paciente  Higienização  Infecção hospitalar  Conforto humano  Segurança do paciente 

Resumo

O projeto HIGISIS foi apoiado anteriormente pelo edital SENAI de inovação, para estudos de viabilidade técnico-científica, nominado de Fase I-SENAI, tendo inclusive gerado um depósito de patente para proteger o invento no país. Como existem alterações de concepção em algumas partes do projeto, será necessário o depósito de uma nova patente nacional. Considerando o ineditismo do projeto, sua alta aplicabilidade, e que, não foi encontrada patente similar no exterior, estamos solicitando também apoio para depósito de patente no exterior, inclusive junto ao PCT. Justificativa - As infecções hospitalares são responsáveis por complicações e óbitos em internações hospitalares. A higienização dos pacientes acamados constitui-se um dos procedimentos essenciais para o conforto e a recuperação dos pacientes e um desafio para as equipes de Enfermagem em hospitais, principalmente em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), devido aos riscos de infecção. A qualidade e a segurança destes procedimentos garantem que não ocorra infecção cruzada durante os banhos de pacientes acamados em UTI e em leitos normais, fato este que multiplicaria por 100 os custos de internação, além de elevar as taxas de óbito. Os poucos concorrentes nacionais oferecem sistemas para banho de leito bastante limitados exigindo sempre o uso de toalhas convencionais. O desenvolvimento do presente sistema de higienização prevê o banho de leito de maneira a lavar o paciente sem que haja escorrimento de qualquer quantidade de líquido, mantendo assim secas as roupas do paciente e as roupas de cama, auxiliando para que as taxas de infecção hospitalar sejam reduzidas, além de aumentar o conforto e o bem-estar dos pacientes em longos períodos de internação. Objetivo - Desenvolver um Sistema Inovador voltado para a Higienização de Pacientes Acamados-HIGISIS, de forma a permitir o banho de leito mantendo secas as roupas do paciente e de cama. Metodologia - O sistema será desenvolvido a partir dos resultados obtidos na Fase I-SENAI no qual foram implementados os sistemas eletrônico/ mecânico/hidráulico comandados por um microcontrolador. Cada um dos subsistemas foi testado de maneira estanque. Paralelamente foi desenvolvido o cabeçote utilizando a técnica de manufatura aditiva. O cabeçote é o principal item de inovação do sistema que permite aplicar água na superfície da pele do paciente e sugar a água residual sem que haja derramento desta pelo corpo do paciente. Vários itens de inovação foram integrados ao cabeçote, como por exemplo, o uso de um sistema remoto garante que o sistema hidráulico do cabeçote seja acionado somente quando este entra em contato com a pele, desligando quando perde este contato. Um vacuostato auxilia no controle da pressão de sucção para que o vácuo seja eficiente e garanta um banho confortável sem causar danos à pele do paciente. Visando o item conforto, está previsto ainda o uso de uma esponja descartável na forma de anel que será alojada na extremidade distal do cabeçote, sendo substituída a cada banho. Tem-se ainda o uso de um gerador de ozônio, de fabricação da Medical Systems que atua no sistema hidráulico, desinfetando e mantendo-o livre de micro-organismos. Os testes elétricos, mecânicos e hidráulicos do cabeçote se mostraram satisfatórios, mas exigem melhorias. Na fase II estão previstas as otimizações de hardware e software, integração entre os subsistemas e a integração a um rack que permite a portabilidade do sistema no interior do hospital. Resultados Esperados e Seus Impactos - Um novo conceito em banho de leito que durante o procedimento mantém seca roupas do paciente e de cama. Esse conceito assegura maior conforto ao paciente além de reduzir riscos de infecção. Sua usabilidade oferece melhores condições ergonômicas de trabalho ao profissional da saúde reduzindo riscos à sua saúde. (AU)