Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaio clínico randomizado, duplo-cego, do uso da mirtazapina versus megestrol para o controle da anorexia-caquexia em pacientes oncológicos em cuidados paliativos

Processo: 18/04526-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2018 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Nereida Kilza da Costa Lima
Beneficiário:Nereida Kilza da Costa Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Eduardo Ferriolli
Assunto(s):Megestrol  Caquexia  Cuidados paliativos  Anorexia 

Resumo

A anorexia-caquexia associada ao câncer é uma síndrome insidiosa que tem um impacto importante sobre a qualidade de vida do paciente, mas também está associada a uma redução significativa da sobrevida. Apesar da sua importância clínica, permanece como uma condição amplamente subestimada e não tratada. Considerando a escassez de medidas farmacológicas, faz-se necessário o investimento em estudos que possam contribuir para o tratamento racional e eficaz dessa condição clínica. A mirtazapina tem um especial potencial terapêutico por ser um fármaco bem tolerado, com poucos efeitos adversos e com ação orexígena bem conhecida na prática clínica. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito da mirtazapina como medida farmacológica no manejo da anorexia-caquexia relacionada ao câncer em pacientes em cuidados paliativos. Será realizado um ensaio clínico randomizado e duplo-cego envolvendo 52 pacientes oncológicos com anorexia-caquexia em cuidados paliativos. Os pacientes serão randomizados para receber mirtazapina ou megestrol e serão avaliados longitudinalmente por um período de 8 semanas. O desfecho primário será avaliar o efeito da mirtazapina sobre a anorexia e ganho ponderal e os desfechos secundários serão avaliar a tolerância e segurança da mirtazapina e o efeito da mirtazapina sobre a composição corporal, qualidade de vida e capacidade funcional dos pacientes envolvidos. (AU)