Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunossensor para o diagnóstico da Doença de Alzheimer no estágio pré-clínico através da detecção de autoanticorpos

Processo: 18/04648-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2018 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Marli Leite de Moraes
Beneficiário:Marli Leite de Moraes
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Elenice Deffune ; Sidney José Lima Ribeiro
Bolsa(s) vinculada(s):19/20967-0 - Otimização do eletrodo e montagem de filmes automontado para aplicação em imunossensores, BP.TT
18/21858-7 - Preparação de lipossomos e montagem de filmes automontados para aplicação em imunossensores, BP.TT
Assunto(s):Nanopartículas  Doença de Alzheimer 

Resumo

A doença de Alzheimer (DA) é a uma doença neurodegenerativa, responsável pela maioria dos casos de comprometimento cognitivo progressivo em pacientes idosos. O processo degenerativo pode iniciar 20 anos antes do início clínico da doença, no entanto, existem inibidores que se administrados no estágio inicial podem retardar esse processo. Neste projeto é proposto o desenvolvimento de um imunossensor para a detecção da doença de Alzheimer no estágio pré-clínico ao comprometimento cognitivo leve (CCL) baseado na detecção de autoanticorpos presentes em amostras periféricas, como sangue ou plasma, de pacientes com a DA. Mais especificamente, serão estudados a detecção dos autoanticorpos anti-²A42, anti-FRMD8 e anti-ATP-sintase que estão presentes nos estágios pré-clínico e CCL através dos antígenos peptídeo ²A42, proteína FRMD8 e enzima ATP-sintase, respectivamente, imobilizados em filmes automontados. Como base de adsorção dos antígenos serão utilizados a fibroína da seda, sericina e quitosana, associados a nanopartículas contendo íons lantanídeos, Eu3+ e Tb3+. A detecção será realizada utilizando impedância elétrica e técnicas eletroquímica, monitorando as mudanças das propriedades elétricas, e medidas ópticas, utilizando processos de transferência de energia entre as nanopartículas e os elementos de biorreconhecimento. Ao final do projeto é esperada a detecção da DA em amostras periféricas nos estágios pré-clínico e CCL, possibilitando o diagnóstico precoce da doença de Alzheimer, isto é antes do comprometimento cognitivo. (AU)