Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação astrócito-neurônio na transmissão sináptica excitatória no núcleo do trato solitário (NTS) de camundongos

Processo: 18/02336-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Benedito Honorio Machado
Beneficiário:Benedito Honorio Machado
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesq. associados:Daniela Accorsi Mendonça Eichenberger
Assunto(s):Neurociências  Transmissão sináptica 

Resumo

As sinapses são o principal elemento funcional do SNC e recentemente tem sido descrito que existem sinapses nas quais os neurônios pré- e pós-sinápticos estão envolvidos pelos astrócitos, sendo denominadas sinapses tripartites. Na sinapse tripartite ocorre uma intensa comunicação entre astrócito-neurônio que modula a atividade sináptica. Astrócitos expressam transportadores de glutamato que captam o glutamato da fenda sináptica, diminuindo a concentração de glutamato disponível para se ligar aos receptores pós-sinápticos. Em sinapses onde não existem astrócitos o glutamato pode se difundir para fora da fenda sináptica e se ligar a receptores extra-sinápticos, como por exemplo receptores NMDA extra-sinápticos (rNMDAe). Em neurônios a estimulação dos rNMDAe produz uma corrente tônica (INMDA tônica) originada pelo fluxo de Ca2+ através da membrana. O aumento na concentração de Ca2+ intracelular pode promover a inserção de novos receptores do subtipo AMPA na membrana e aumentar a transmissão glutamatérgica. O NTS é uma região do tronco cerebral responsável pelo processamento sináptico de vias neuronais envolvidas com reflexos cardiovasculares e respiratórios e possui tanto sinapses tripartites como sinapses sem astrócitos. Os objetivos do presente projeto são os seguintes: (1) avaliar se sinapses do NTS de camundongos apresentam INMDA tônica e (2) se essa corrente pode facilitar a transmissão glutamatérgica através da interação com receptores AMPA. Para isso serão utilizados registros da atividade sináptica por meio da técnica de patch-clamp. (AU)