Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 2017/50349-0: sistema de medição de permeabilidade ao vapor dágua

Processo: 18/15759-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de setembro de 2018 - 31 de agosto de 2025
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Luis Fernando Ceribelli Madi
Beneficiário:Luis Fernando Ceribelli Madi
Instituição-sede: Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/50349-0 - Plano de desenvolvimento institucional em pesquisa do Instituto de Tecnologia de Alimentos - ITAL (PDIp), AP.PDIP
Assunto(s):Embalagens de alimentos  Técnicas, medidas, equipamentos de medição  Permeabilidade  Equipamentos multiusuários 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU:http://www.ital.agricultura.sp.gov.br/emu.php
Tipo de equipamento:Caracterização de Materiais - Propriedades Físicas - Porosidade/permeabilidade
Fabricante: Mocon-Amtek
Modelo: Permatran Modelo 3/34G

Resumo

Muitos produtos requerem embalagens que sejam barreira ao vapor d'água, para evitar ganho ou perda de umidade. Nos alimentos de baixa atividade de água, o ganho de umidade favorece o crescimento microbiano, a oxidação de gorduras, a oxidação de pigmentos e vitaminas, a ação enzimática, o escurecimento não enzimático, a aglomeração e a perda de crocância, a exemplo do que ocorre em biscoitos, snacks, nozes, misturas de pós para sucos, gelatinas, etc. Nos alimentos de alta atividade de água, a perda de umidade para o ambiente representa perda de peso e acarreta alterações físicas como mudanças de cor e textura (ressecamento), químicas e organolépticas. Exemplos de produtos onde essas alterações ocorrem são os produtos cárneos, laticínios e congelados. Assim, é muito importante avaliar qual a barreira ao vapor d'água necessária para cada tipo de produto de forma que sua qualidade intrínseca seja mantida por mais tempo. Também deve ser considerado que o Brasil apresenta condições climáticas diferenciadas dependendo da região o que também deve ser considerado dependendo de como é a comercialização do produto. Estudos onde está propriedade dos materiais de embalagens deva ser avaliada se estendem desde embalagens para produtos de merenda escolar de forma a garantir a qualidade dos produtos servidos nas escolas durante períodos requeridos por cada categoria de produto; produtos como balas e confeitos onde se busca substituir corantes e aromatizantes artificiais por naturais provenientes de frutas tropicais, por exemplo; desenvolvimentos de novos produtos utilizando técnicas de secagem como drum dryer, liofilização que embora não sejam novas, são pouco utilizadas no País. Além disso, desenvolvimentos de novos produtos com componentes que substituem ingredientes que causam problemas de saúde para algumas categorias de consumidores como glúten, ovo, etc. Além disso, na área de alimentos, a cada dia estão sendo pesquisados produtos que apresenta substitutos de ingredientes por outros oriundos de farelo de milho, soja, girassol, importantes produtos do agronegócio. O desenvolvimento de embalagem deve acompanhar o desenvolvimento do produto porque suas necessidades de produção se alteram com as alterações na composição ou na forma de produção. Novos tipos de materiais de embalagens também são foco de interesse de pesquisa como os polímeros de fonte renovável, polímeros com incorporação de dessecantes, utilização da nanotecnologia, etc. e sua caracterização quanto a proteção que oferecem para o produto é um dos passos para o sucesso técnico de utilização destas novas tecnologias. A aquisição deste equipamento faz parte do Plano de Desenvolvimento Institucional em Pesquisa do Instituto de Tecnologia de Alimentos nas Áreas Estratégicas de Segurança e Saudabilidade de Alimentos e de Inovação em Produtos e Processos. Entre as linhas de pesquisa propostas neste PDIP, este equipamento será utilizado nos estudos de biopolímeros, nos desenvolvimentos de produtos com substitutos visando redução de açúcar / gordura, desenvolvimento de produtos incorporados de componentes funcionais a exemplo das fibras que tende a aumentar as características de higroscopicidade dos produtos e mesmo utilizando subprodutos da cadeia do agronegócio de forma a redução de resíduos e melhoria da cadeia como um todo. (AU)