Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos ecológicos na dinâmica da biodiversidade em tempo profundo

Processo: 18/05462-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Tiago Bosisio Quental
Beneficiário:Tiago Bosisio Quental
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Charles Marshall ; Daniele Silvestro ; Gustavo Burin Ferreira ; Laura Rodrigues Vieira de Alencar
Bolsa(s) vinculada(s):19/16233-0 - Criação e curadoria das rotinas computacionais utilizadas para estudar a dinâmica da diversificação, BP.TT
Assunto(s):Biodiversidade  Processos ecológicos e ambientais  Filogenia  Bioestatística  Extinção biológica 

Resumo

Diferenças temporais, espaciais e entre linhagens da biodiversidade compõem a história da vida. Documentar como o número de espécies varia é uma descrição de primeira ordem, mas para compreendermos plenamente a biodiversidade, precisamos entender como as taxas de especiação e extinção variam ao longo do tempo, entre linhagens, e quais fatores controlam essa dinâmica. Na última década presenciamos o desenvolvimento de novas ferramentas estatísticas para inferir dinâmicas de diversificação a partir do registro fóssil e de dados moleculares, porém apenas muito recentemente observamos de forma mais direta a inclusão de processo ecológicos a modelos macroevolutivos. Uma perspetiva temporal profunda (aqui definida como um período de tempo de milhões de anos) da dinâmica da biodiversidade costuma apresentar uma visão polarizada a respeito dos controles de biodiversidade, atribuindo mudanças drásticas da diversidade a fatores abióticos e relegando um papel secundário para interações bióticas. Isso não parece surpreendente, dada a dificuldade em documentar interações bióticas em tempo profundo. O projeto em questão pretende utilizar e desenvolver novas ferramentas estatísticas que permitam uma melhor compreensão dos fatores bióticos e abióticos (e sua provável interação) na dinâmica de especiação e extinção. Serão utilizados dados do registro fóssil, filogenias moleculares, e dados de ecologia e morfologia, assim como ferramentas da paleontologia analítica e métodos comparativos filogenéticos. Os modelos de estudo serão diferentes grupos de vertebrados, com ênfase em mamíferos e aves. Os resultados empíricos ajudarão a desenvolver uma nova teoria sobre processos de equilíbrio e de não equilíbrio, e a entender como diferentes mecanismos operam para regular a biodiversidade em tempo profundo. Mais especificamente, serão investigados o efeito de interações interespecíficas, e de mudanças graduais na área do ambiente, na dinâmica da biodiversidade. De forma mais ampla os resultados irão nos auxiliar a entender como os processos ecológicos que operam em um curto intervalo de tempo de tempo se manifestam em escala de tempo macroevolutivo. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.