Busca avançada
Ano de início
Entree

O processo de cuidar em saúde mental da criança/adolescente negro em CAPS infantil

Processo: 18/07251-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Psiquiátrica
Pesquisador responsável:Sônia Barros
Beneficiário:Sônia Barros
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Luís Eduardo Batista ; Maria Do Perpétuo Socorro de Sousa Nóbrega ; Naiara Gajo Silva
Assunto(s):Racismo  Saúde mental  Cor 

Resumo

Resumo: Revisão da leitura evidencia que no Brasil a população negra tem vivenciado historicamente uma situação de exclusão social, discriminações e racismo, e que esses processos são geradores de adoecimento físico e mental. Partimos do pressuposto que os efeitos psicossociais do racismo, da exclusão e da segregação social causam impactos significativos na saúde das pessoas, e que as crianças e adolescentes são as principais vítimas deste processo. Todavia, como as crianças e adolescentes negros são atendidas nos Centros de Atenção Psicossocial infantil? Nos serviços CAPSi, as crianças e adolescentes são reconhecidos e cuidados levando-se em conta esta singularidade da questão racial? Como é conviver e ser uma cuidadora de uma criança/adolescente com transtorno mental? O estudo será desenvolvido em três etapas: a primeira terá uma abordagem quanti/qualitativa e, a segunda etapa terá abordagem qualitativa. O cenário da pesquisa será o CAPSi Brasilândia, localizado na zona norte da cidade de São Paulo-SP. Na etapa I - Serão coletas informações dos prontuários dos pacientes em tratamento no CAPS; entrevistas semi-estruturadas com familiares/cuidadoras e técnicos de referência da criança/adolescentes, caso seja necessário complementar informações faltantes nos prontuários. Na segunda etapa - Pesquisa do tipo qualitativa, exploratória. Os sujeitos participantes serão todas as mulheres/cuidadoras de crianças/adolescentes pretos ou pardos com transtorno mental. Serão analisados os "n" formulários/questionários preenchidos sobre elas na Etapa I. Será utilizado um formulário/questionário contendo questões orientadoras/entrevista semi-estruturada, para compreender o percurso delas na Rede de Atenção à Saúde. Para análise será feita uma análise de conteúdo temática. Na terceira etapa, será realizado a pactuação dos dados encontrados no estudo e que vão compor a nova versão da ficha de atenção a saúde mental dos CAPSi do município com profissionais dos serviços, gestores municipais, usuários e sociedade civil. Também será realizado encontro de devolutiva das construções da pesquisa para famílias, profissionais de saúde, serviços e gestores municipais, estaduais e federais. Aspectos éticos - o projeto de pesquisa foi cadastrado na Plataforma Brasil da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), sob o número CAEE 80431917.7.0000.5392. Duração: 24 meses. Recursos Necessários: R$ 74.840,14. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.