Busca avançada
Ano de início
Entree

Biodiversidade e Biogeografia de animais bentônicos de mar profundo: um estudo dos Caudofoveata (Mollusca, Aplacophora) do Brasil

Processo: 18/06347-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Flávio Dias Passos
Beneficiário:Flávio Dias Passos
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Alexandre Dias Pimenta ; Carmen Regina Parisotto Guimaraes
Assunto(s):Aplacophora  Mollusca  Biodiversidade  Taxonomia  Malacologia  Biogeografia  Oceano Atlântico 

Resumo

Os moluscos marinhos constituem uma parcela importante da biodiversidade brasileira, mais conhecida em relação às espécies que habitam águas rasas. Gastrópodes, bivalves e cefalópodes são os grupos maiores e mais bem investigados, ao passo que outros, menores e mais restritos a grandes profundidades, são por vezes completamente negligenciados. Este é o caso dos Aplacophora que, embora sejam diversos e por vezes bastante abundantes em mar profundo, são raramente estudados devido às dificuldades em obtê-los e por exigirem o conhecimento de técnicas não usuais. Estes moluscos são característicos por possuírem um corpo cilíndrico e alongado, coberto por espículas e, em geral, de pequenas dimensões. O interesse nesses animais vem crescendo nos últimos anos dada a sua importância para o entendimento das relações filogenéticas dos grupos de moluscos. Na literatura mais recente eles têm sido considerados como um grupo monofilético, com dois táxons - Caudofoveata e Solenogastres - distinguidos externamente, basicamente, pela presença ou não de sulco pedioso na região ventral do corpo, que ocorre somente nos últimos. Para o Oceano Atlântico, registros da ocorrência de aplacóforos são mais comuns para o hemisfério norte, havendo pouco conhecimento em relação às espécies da América do Sul. No Brasil, em particular, nunca foram estudados em detalhe, mas mais recentemente, exemplares têm sido coletados abundantemente em áreas onde há intensa prospecção do fundo marinho para exploração de petróleo e gás natural, no sudeste e no nordeste. Assim, com o objetivo maior de investigar os padrões de distribuição desses animais em grandes profundidades do Oceano Atlântico, coleções de milhares de espécimes de Caudofoveata do Brasil estão sendo estudadas, identificando-os até o nível específico, para então descrever novas ocorrências e/ou as novas espécies. Estes estudos, de fato, já estão em andamento, utilizando-se de técnicas de microscopia de luz e eletrônica de varredura, com uma metodologia própria desenvolvida na UNICAMP, que vem dando excelentes resultados, inclusive com publicações. No presente projeto, essas espécies serão investigadas em um contexto mais amplo, contemplando revisões taxonômicas que incluirão todas as espécies do Oceano Atlântico dos gêneros Falcidens e Chaetoderma (Chaetodermatidae) e das famílias Limifossoridae e Prochaetodermatidae, estes sendo os grupos mais bem representados na fauna brasileira. Comparando as diferentes espécies e através de modelagens da sua distribuição geográfica, será investigada a ocorrência de espécies-irmãs nas diferentes regiões do Atlântico profundo, revelando também distintos padrões de distribuição como, por exemplo, bipolar, anfi-atlântico, espécies endêmicas ou amplamente distribuídas (dentre possíveis outros). Trata-se de um projeto pioneiro para o Brasil, feito em colaboração com pesquisadores nacionais e estrangeiros, e com a formação de alunos iniciantes científicos e pós-graduandos, que se especializarão na taxonomia de moluscos e, mais particularmente, naqueles de mar profundo; um Bolsista FAPESP de Doutorado já se encontra envolvido no projeto (Proc. 2017/01081-5). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.