Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da administração de probiótico Bifidobacterium animalis subsp. lactis HN019 na progressão da doença periodontal induzida por ligadura em ratos submetidos a quimioterapia

Processo: 17/11541-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Luciana Prado Maia
Beneficiário:Luciana Prado Maia
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE). Presidente Prudente , SP, Brasil
Pesq. associados:Michel Reis Messora
Assunto(s):Doenças periodontais  Neoplasias bucais  Probióticos  Quimioterapia 

Resumo

O tratamento quimioterápico aumenta a severidade da periodontite e compromete o resultado do tratamento. Os probióticos surgiram como alternativa para o tratamento das patologias bucais, podendo modular a resposta imune do hospedeiro e modificar o ambiente bacteriano. O objetivo do presente estudo é avaliar os efeitos da administração do probiótico (PROB) Bifidobacterium animalis subsp. lactis HN019 na progressão periodontite experimental (PE) em ratos submetidos a quimioterapia (5-fluorouracil - 5-FU) através de análises morfométrica, histomorfométrica, microtomográfica, imunohistoquímica, imunoenzimática e de expressão gênica. Serão utilizados 80 ratos machos, divididos nos seguintes grupos: controle (C); tratamento somente com 5-FU (5FU) (60 mg/kg no dia da indução da PE e 40 mg/kg após 48hs); tratamento somente com PROB (HN019) (diariamente por 44 dias, iniciando 30 antes antes da indução da PE); tratamento com 5-FU e PROB (5FU-HN019); somente PE (PE) (ligadura nos primeiros molares inferiores, mantida por 14 dias); PE e tratamento com 5-FU (PE-5FU); PE e tratamento com PROB (PE-HN019); e PE e tratamento com 5-FU e PROB (PE-5FU-HN019). Todos os animais serão eutanasiados 44 dias após o início do experimento e serão coletados biofilme oral, tecido gengival, hemi-mandíbulas, intestino e fezes. Para os dados com distribuição normal será utilizado Análise de Vairância (ANOVA), seguido pelo teste post-hoc de Tukey. Para os dados com distribuição não normal será utilizado Kruskal-Wallis, seguido pelo teste post-hoc de Dunn. Espera-se com esse estudo demonstrar que o uso de probióticos poderá ser considerado um importante aliado na prevenção da doença periodontal em indivíduos submetidos à quimioterapia. (AU)