Busca avançada
Ano de início
Entree

Extrato de jabuticaba: resposta in vivo do adenocarcinoma de próstata em camundongos TRAMP associada à ingestão de dieta hiperlipídica e in vitro em células prostáticas tumorais humanas

Processo: 18/04579-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Valéria Helena Alves Cagnon Quitete
Beneficiário:Valéria Helena Alves Cagnon Quitete
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesq. associados:Larissa Akemi Kido de Barros ; Mário Roberto Maróstica Junior
Assunto(s):Inflamação  Dieta hiperlipídica 

Resumo

O câncer de próstata (CaP) é o câncer mais diagnosticado em homens. Além disso, a literatura especializada tem relacionado o consumo da dieta hiperlipídica ao aumento da agressividade do CaP. Sabe-se que antioxidantes, como os polifenóis, têm sido avaliados em terapias para o CaP. Dentre os antioxidantes naturais, estudos apontaram os efeitos antiproliferativos e antioxidativos da Jabuticaba sobre diversas linhagens celulares de câncer, incluindo o da próstata. Entretanto, poucos estudos têm associado o consumo da Jabuticaba com a proteção contra o câncer, bem como as diferentes sinalizações no microambiente prostático que podem ser ativadas frente à administração de um potencial antioxidante natural como a Jabuticaba. O presente estudo tem como principais objetivos, a avaliação de parâmetros metabólicos, estruturais, oxidativos, inflamatórios e moleculares, no microambiente prostático de camundongos transgênicos para adenocarcinoma de próstata (TRAMP) frente ao tratamento com extrato da casca da Jabuticaba (ECJ), bem como a associação da ingestão de dieta hiperlipídica no modelo animal mencionado. Em adição, objetivamos avaliar a resposta in vitro das células tumorais prostáticas humanas frente ao tratamento com ECJ, caracterizando genes relacionados a via da inflamação através da técnica de PCR array. Para o estudo in vivo, os camundongos serão divididos em: Grupo Controle (C8) TRAMP com 8 semanas de idade; Grupo Controle Dieta Normo Lipídica (C16) TRAMP receberão dieta padrão ad libitum + veículo v.o.; Grupo Jabuticaba Dieta Normo Lipídica (JC)- receberão 5 doses semanais ECJ v.o. (0,007mL/g/dia); Grupo Controle Dieta Hiperlipídica (CH16): camundongos TRAMP receberão dieta hiperlipídica ad libitum + veículo v.o.; Grupo Jabuticaba Dieta Hiperlipídica (JH): camundongos TRAMP receberão dieta hiperlipídica e seguirão o mesmo protocolo experimental do grupo JC. Todos os tratamentos terão início quando os camundongos TRAMP atingirem 8 semanas de idade, e término quando os mesmos atingirem 16 semanas de idade. Posteriormente, o lobo dorsolateral e/ou os lobos anterior e ventral, e o plasma dos camundongos TRAMP serão coletados para análises estruturais, de imunohistoquímica, de Western Blotting, de Elisa, de RT-PCR quantitativo e de hibridização in situ. (AU)